Sábado, 30 de Janeiro de 2010

FRASES E FEITOS

 I

 

O Exm.º Senhor Procurador Geral Adjunto, Dr. Euclides Dâmaso, sobre a crise da Justiça, declarou:
 
Em crise vivemos todos nós, desde o parto.
 
Esta frase, bem mais profunda que o cogito ergo sum (quem era Descartes comparado com o Dr. Euclides?), é de uma extraordinária importância para o nosso devir colectivo.
Pelo menos porque ficamos a saber que o Dr. Euclides, coitadinho, para não se sentir só, acha que todos nós entrámos em crise ao nascer, e que nunca mais nos livrámos dela.
Ficamos, outrossim, cientes de que a crise da Justiça é fatal, endémica e irremediável, não valendo a pena fazer seja o que for a tal respeito.
Sabedores ficamos ainda que, de ciência certa, os problemas da Justiça nada têm a ver com as acções ou omissões dos seus agentes, pobres deles, mergulhados desde os primeiros vagidos numa crise universal de que é impossível sair e, portanto, inimputáveis seja a que título for.
Os próprios vagidos não passam de um sinal claríssimo da crise em que o Euclides mergulhou ao nascer.
 
 II
 
O Exm.º Senhor Professor Doutor Vital Moreira declarou:
 
O princípio de igualdade só exige que seja tratado de forma igual o que é igual
 
Muito bem. O problema é que o ilustre patrão socialista do PE aplica esta máxima ao tratamento diferenciado que acha que o Estado deve dar aos que têm dinheiro, ou seja, cair-lhes em cima a quatro patas, porque não são iguais aos outros.
Sem discutir o princípio geral, pelo menos nesta sede, ocorre perguntar porque não se lembrou a desagradável criatura de tal princípio quando escreveu o que escreveu sobre os “casamentos” homo.
Donde se conclui que, no enviesado bestunto do professor, homo e hetero são exactamente a mesma coisa.
Xiça!
 
III
 
Um dos grandes dirigentes e educadores dos enfermeiros, reflectindo as exigências da corporação, declarou:
 
Sou licenciado e ganho como bacharel!
 
O Louça declarou:
 
Estou com eles! (os enfermeiros)
 
Donde se conclui que, nesta pobre terra, os ordenados devem corresponder às qualificações académicas de cada um*, não ao valor do trabalho que fazem nem à forma como o fazem. Mesmo que tais qualificações sejam as que sempre foram, mas tenham passado a “licenciaturas”.
A fim de acabar com a crise económica, o IRRITADO sugere que o título de licenciado passe a ser dado a todos os que forem admitidos nas novas oportunidades, bem como aos trolhas, aos almeidas e aos titulares de qualquer “formação”. E que todos os novos licenciados passem a ser pagos como tal. Ainda que, como é o caso do IRRITADO, não se saiba ao certo o que é isso de ser “pago como licenciado”.
O Jerónimo ainda não se lembrou desta, mas, para não deixar os trunfos nas mãos do Louça, vai defendê-la na sua próxima visita à Amareleja.
*Nesta conformidade, desde já se sugere que o senhor Salvador Caetano, como só têm a 3ª classe, passe a vencer o ordenado mínimo. E nem mais um chavo.
 
 
 
 
 
 
 
 
IV
 
O Sapateiro decidiu:
Cortar 50 mil milhões de euros na despesa do Estado Espanhol.
 
O Pinto de Sousa decidiu:
Aumentar em mil milhões de euros a despesa do Estado Português.
 
São ambos socialistas, mas parece que um é mais burro e mais aldrabão que o outro.
 
30.1.10
 
António Borges de Carvalho
publicado por irritado às 17:49
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De XXI a 31 de Janeiro de 2010 às 16:43
{Donde se conclui que, nesta pobre terra, os ordenados devem corresponder às qualificações académicas de cada um*, não ao valor do trabalho que fazem nem à forma como o fazem. Mesmo que tais qualificações sejam as que sempre foram, mas tenham passado a “licenciaturas”.}.

Após leitura deste parágrafo, só posso dizer: BORROU A PINTURA TODA.

Com efeito, dando de barato o preconceito manifesto, em coerência o Senhor, mercê do trabalho que fez e, sobretudo, pelo que produziu (melhor dito: não produziu) enquanto Deputado (ou mesmo como Jurista), DEVERIA VIVER COM O "RENDIMENTO MÍNIMO", porquanto só estragou. Nada produziu.

Há muitos anos, um familiar meu, internado num Hospital, numa noite, entrou em choque hemofílico devido a perfuração de ulcera varicosa. Por força da actuação do Senhor Enfermeiro de serviço, "safou-se".
Qual foi a importância deste ENFERMEIRO?


De André Miguel a 31 de Janeiro de 2010 às 22:36
Entre o Sapateiro e o Pinto venha o diabo e escolha.


De Carlos Monteiro de Sousa a 1 de Fevereiro de 2010 às 08:28
Meu caro Irritado,muito bom dia.
Pleno acordo com tudo o que escreve.
Esta coisa dos enfermeiros AGORA serem licenciados tem origem,segundo a minha opinião,na letra A do funcionalismo público que atribuía e parece que ainda atribui uma remuneração mais alta a quem possuísse o grau académico de licenciatura,independentemente do que pudesse saber sobre qualquer assunto.Por isto ser verdade e acontecer,verificou-se,na academia,a abertura de licenciaturas sobre parágrafos da Ciência e que não servem para outra coisa senão para darem mais uns tostões.
Não sei se o meu amigo já se viu confrontado com o facto de querer premiar um subordinado,muito eficiente na sua função e não poder fazê-lo senão através duma promoção,que a mais das vezes,justifica o Princípio de Peter.
Continuamos na mesma,senão pior.
Melhores cumprimentos
Carlos Monteiro de Sousa


De XXI a 2 de Fevereiro de 2010 às 13:24
Ó Sousa, tem tomado valproato?


De Anónimo a 2 de Fevereiro de 2010 às 20:10
Pelos vistos, tem.


De Francisco Sousa a 2 de Fevereiro de 2010 às 23:53
Caro Irritado.
Não conhecendo eu Vossa Excelência, e para que o informe, fiz questão de googlar o seu nome, e para meu espanto nada encontrei.De onde concluo que Vossa Excelência será certamente uma personalidade deveras importante na sociedade portuguesa, com muito valor no trabalho que desenvolveu ou na forma que o faz.
Após leitura do seu comentário neste blog, que por acaso me apareceu no ecrã do meu laptop, senti uma vontade enorme de lhe responder á letra. Mas... não irei faze-lo.
Como tal, resta-me esperar que num futuro próximo,V.Excelência ou qualquer familiar muito querido seu tenham necessidade de exprimentar in loco, o valor do nosso trabalho, enquanto profissional de menor qualificação( segundo V. Excelência).
Não quero com isto desejar que a vida lhe corra mal, pois, com todo o respeito por essa profissão, não estou aqui a defender os cangalheiros.
Atenciosamente.

F.Sousa

P.S. Se fizer questão forneço-lhe o contacto de inumeros doentes que passaram "por estas mãos sem qualificação"; eventualmente a sua mente retrógrada despertaria para a nova realidade que é a Enfermagem em Portugal.


De irritado a 3 de Fevereiro de 2010 às 11:40
Caro Senhor Francisco Sousa
1. Não acredito que o Google lhe tenha dado essa resposta. Há lá várias referências, ainda que parcelares, incompletas e, às vezes, inexactas, à minha modesta pessoa.
2. Em parte alguma disse que os enfermeiros não tinham qualificações para exercer a sua profissão. Ainda menos que, em geral, a exerçam mal.
3. Não desmereci da profissão, mas da atitude que os profissionais vêm tomando.
4. O que procurei "passar" foi:
3.1. Que o critério deve ser o do mérito, não o da licenciatura;
4.2. Que a palavra "licenciatura" tem, para mim, um conteudo que se não devia aplicar aos enfermeiros;
4.3. Que, em Portugal, com tantas licenciaturas, a pelavra licenciatura se desqualifica;
4.4. Que os enfermeiros - gente que tem emprego! - deviam respeitar mais os que o não têm - e esperar por melhores dias para fazer reivindicações tão malucas como a de um aumento de 50% (como li algures);
4.5. Que o facto de se ser licenciado deve apontar para o exercício de profissões compreendidas num determinado leque, mas não deve inculcar, necessariamente, um vencimento ou outro;
4.6. Que a profissão de enfermeiro tem sido, historicamente, exercida por não licenciados devidamente preparados para a exercer, e que o simples facto de se ter dado aos cursos de enfermagem uma "dignidade" superior, não significa absolutamente nada em termos, ou de qualidade de serviço, ou de montante de vencimento;
4.7. Que os enfermeiros, além do mais, estão a procurar estabelecer duas classes dentro da sua classe: os licenciados e os não licenciados (os velhos);
4.8. Que os enfermeiros não têm o direito de abandonar os seus doentes, fazer parar as cirurgias e outros desmando mais, com greves alegadamente gerais.

Atentas as suas alegações e ameaças, as minhas opiniões ficaram reforçadas e justificadas.
Com os melhores cumprimentos
ABC


De F.Sousa a 3 de Fevereiro de 2010 às 19:47
Exmo Sr. Dr. ABC
ontem após ler o Vosso comentário, decidi não responder. Mas hoje não resisto.
Vamos por partes (se me permite):
-"Que o critério deve ser o do mérito, não o da licenciatura". Diga-me em que profissão o salário é decidido pelo mérito e não pelas formação adquirida ao longo de anos e anos.
-"Que a palavra "licenciatura" tem, para mim, um conteudo que se não devia aplicar aos enfermeiros"- Permita-me questionar o porquê?! Certamente está completamente desactualizado das competencias adquiridas pela Enfermagem nos ultimos anos. Sugiro a consulta dos planos curriculares da Licenciatura de Enfermagem.
-"Que, em Portugal, com tantas licenciaturas, a palavra licenciatura se desqualifica"- É um facto; mas também nos é completamente alheio este facto. Talvez, V.Excelência quando pertenceu ao Governo terá certamente autorizado o florir de "novas" licenciaturas. Digo eu, não sei!! Desconheço ter existido algum ministro da Educação ou do Ensino Superior enfermeiro; como tal...!!
-"Que os enfermeiros - gente que tem emprego! - deviam respeitar mais os que o não têm - e esperar por melhores dias para fazer reivindicações tão malucas como a de um aumento de 50% "- Temos emprego, certamente; alguns; outros não lhe chamaria emprego mas sim escravidão disfarçada, já que, por desregulamentação da nossa profissão, aliada ao desejo ardente de lucro rápido e fácil, por parte das instituições privadas de Saúde, exploram o excesso de oferta que de momento se faz sentir com os recém licenciados. Quanto ao esperar por melhores dias, só lhe digo que já esperamos ha muito tempo por melhores dias.Há muitos anos Sr. Dr.. Entretanto já se construiram 10 estádios de futebol, dezenas de auto-estradas desertas, milhares disperdiçados em medidas inócuas, etc, etc, etc. Logo, melhores dias também não é desculpa.
-"Que o facto de se ser licenciado deve apontar para o exercício de profissões compreendidas num determinado leque, mas não deve inculcar, necessariamente, um vencimento ou outro"- É este o sentido de justiça que caracteriza a Sua crença política? Não me diga, Sr. Dr, pois se assim é, vou exigir os boletins de voto para mudar o local da minha X.
-"Que a profissão de enfermeiro tem sido, historicamente, exercida por não licenciados devidamente preparados para a exercer, e que o simples facto de se ter dado aos cursos de enfermagem uma "dignidade" superior, não significa absolutamente nada em termos, ou de qualidade de serviço, ou de montante de vencimento"- Esta nem comento, Sr.Dr. Precisaria de mais de 5000 caracteres. E só tenho 1730 disponivéis.
-"Que os enfermeiros, além do mais, estão a procurar estabelecer duas classes dentro da sua classe: os licenciados e os não licenciados (os velhos);" - Lamento, mas é falso.Os ainda não licenciados, serão certamente uma minoria muito minor (passe expressão), com pouca representatividade estatistica que permita o crescer de 2 classes dentro da mesma profissão.
-"Que os enfermeiros não têm o direito de abandonar os seus doentes, fazer parar as cirurgias e outros desmando mais, com greves alegadamente gerais."- Claro que não. Assim como os professores não têm direito de fechar escolas, os maquinistas de parar comboios, etc, etc. Numa próxima greve de enfermeiros sugiro qualquer coisa que não influencie o normal funcionamento dos hospitais. Aceitam-se ideias. Uma greve de enfermeiros que afecte o preço dos combustiveis, por exemplo!!

Caro Sr. Dr., agradeço profundamente o direito de resposta que me é concedido no Seu blog, mas antes de terminar, quero só esclarecer que em tempo algum lhe desejei mal ou ameacei. Não sou assim, independentemente da profissão que exerço. Apenas gostaria que a Sua forma de ver a Enfermagem fosse diferente, e, quando a mente é cega , nada como ver com os própios olhos. Lamento se o ofendi, não era de todo a minha intenção, mas reconheço que o seu post me abalou, pois, quando desvalorizam o meu trabalho diário e a minha profissão não consigo permanecer impavido e sereno.
Ainda assim,estou completamente disponivel para o esclarecer de duvidas que ainda lhe persistam em relação á Enfermagem. Será certamente um prazer.

Respeitosos Cumprimentos

F.Sousa


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
14

17
18
19
21
22

26
28
29

30


.posts recentes

. UM PARZINHO DE TRUZ

. O MURO DE BERLIM DO PS

. UM APELO ANGUSTIADO

. O FIM DO REGIME

. A MATILHA AO ATAQUE

. JUSTIÇA POPULAR

. OPINIÕES DOURADAS

. COISAS ESPANTOSAS

. MORAL REPUBLICANA

. GENTILEZAS

.arquivos

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

.favorito

. Novo: Estatísticas

blogs SAPO

.subscrever feeds