Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

AINDA NÃO PERCEBERAM?

 

Caro Belarmino

 

Você é um executivo generosamente pago. Como gosta de automóveis, comprou um Mercedes todo cheio de gadgets. Como gosta de boas casas, comprou um apartamento no Palace do Estoril. Como gosta de boa comida, passou a vida a almoçar no Ritz e a jantar no Tavares. Como gosta de viagens com conforto e tratamento VIP, levou a família à Tailândia, classe executiva, hotéis de cinco estrelas, resort de luxo. Muito bem.

Como tem um amigo num banco, foi-lhe fácil arranjar dinheiro para tudo. Há dois anos, viu-se obrigado a pedir um empréstimo grandalhão para “reestruturar” o seu magnífico buraco. Depois, como não mudou de vida, nem a patroa e os meninos quiseram mudar de vida, foi a outro banco, a ver se arranjava mais uns cobres. Como o apartamento do Palace já estava hipotecado, já nada tinha que se visse de garantia real.

A partir daí, você sabe o que lhe aconteceu. A patroa foi viver com a mamã, os meninos foram com ela, você vive sozinho num Tê-zero em Massamá e vai de comboio para o trabalho. É o que lhe resta. O ordenado vai-se em processos e advogados. Se o despedem…

 

***

Caro Pancrácio

 

Você estava empregado numa farmácia. O patrão dava-lhe umas comissões, para além de um ordenadinho. A sua mulher era recepcionista num consultório. Têm uma menina de 15 anos, espigadota, que até já anda na TVI a mostrar as pernitas. Você comprou um Toyota, um andar na Cova da Piedade, uma multidão de electrodomésticos, playstations e coisas do género. Tudo a crédito.

O doutor morreu e os filhos fecharam o consultório. O seu patrão, como isto está difícil, acabou com as comissões. Você está enterrado até ao pescoço. Vai entregar a casa, alugar um tê-um e nem sabe se terá dinheiro para pagar a renda.

 

***

 

Caro Belarmino, caro Pancrácio

 

Imaginem o que aconteceria se tivessem um governo que gerisse a vida do país como vocês geriram a vossa. Imaginem que as coisas iam ficando de tal maneira que já ninguém emprestasse dinheiro ao Estado ou, se o fizesse, fosse em tal ordem de condições que jamais lhe seria possível pagar o que devia. Imaginem um governo que habituasse as pessoas como vocês habituaram as vossas famílias, que distribuísse benesses, subsídios, tachos, regalias “sociais”, contratos malucos com empresas amigas, tudo em quantidades industriais, como vocês distribuíram almoços e playstations. A ponto de, com o apoio de partidos idiotas e de uma Constituição burra, os cidadãos acharem que as benesses de que gozam sem que haja dinheiro para as pagar são direitos inalienáveis, como as vossas patroas acharam que as férias na Tailândia e o Toyota eram para sempre.

Imaginem o estado a que o Estado chegaria.

O vosso problema, que já não é só vosso mas de todos nós, é que o Estado já está nesse estado. Já não é preciso imaginar. E que a inconsciência, a incompetência, a irresponsabilidade do Estado só tem um destinatário: vocês, que não tiveram juízo, e os outros, que o tiveram mas têm que pagar na mesma.

Vocês, a quem o Estado impingiu, com incentivos vários e uma lei de arrendamento criminosa, a ideia peregrina de comprar uma casa em vez de a alugar, vocês, que o Estado contemplou com auto-estradas por onde ninguém passa, que o Estado afogou em “direitos sociais”, que premeia abortos num país que perde gente todos os dias, que malbarata os vossos inacreditáveis impostos como vocês malbarataram o ordenado, que protege os empregos a termo e condena a mobilidade social, vocês, meus caros, vão pagar tudo o que devem e não devem. Os vossos filhos continuarão a pagar. Os vossos netos também.

O Estado, que estava razoável e sustentavelmente endividado quando os socialistas tomaram o poder, chegou com eles a este estado.

 

A pergunta que vos faço é esta: será possível que vocês não achem que a vossa primeira prioridade é correr com esta gente e procurar alguém que, melhor ou pior, pelo menos não ande a enganá-los todos os dias, não faça da política e da economia meros instrumentos de propaganda, não tenha do povo a noção de um bando de idiotas que até gosta de ser aldrabado, não faça da própria manutenção no poder o seu único e exclusivo objectivo custe o que custar, doa a quem doer e seja por que meios for?

 

Pensem nisto e façam força. Já não há nada que os livre de chatices, mas, que diabo, pelo menos será bom que a desgraça deixe de aumentar.

Ou querem ser mais enganados do que já foram?

 

Melhores cumprimentos

 

IRRITADO

 

14.2.11

8 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D