Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

ACABOU A GUERRA? NEM POR ISSO

 

Em tempos, o IRRITADO deu-se ao luxo de prever que não ia haver sanções, nem multas, nem nada que se parecesse. A infrene propaganda política que se seguiu, porém, fê-lo duvidar do seu prognóstico. Afinal, tinha razão.

Enquanto, em Espanha, ninguém, da esquerda ou da direita, se preocupou por aí além com a história, por cá foi o que se viu. O inimigo, acantonado em Bruxelas, preparava-se para atacar a nobre Pátria portuguesa. De todos os lados choveram os protestos, os gritos de alma da soberania ameaçada pelo tenebroso inimigo que, sob as ordens do General Schäuble, se preparava para o ataque. Era o PPE, a direita!, quem manobrava na sombra para pôr em causa a honra lusitana, qual Duque de Alba, ameaçador, na raia da Extremadura.

Saíu tudo ao contrário. O General Schäuble, nosso tenebroso e figadal inimigo, telefonou aos chefes de todos os exércitos, dizendo que não, não atacassem*. E, como não podia deixar de ser, foram as hostes socialistas, às ordens do coronel Olrik, perdão, Disselbloem ou coisa que o valha, quem quis beber o sangue da Nação. O sargento Junker, também ele do bando da tenebrosa direita, alinhou com o general. Um espanto, uma incoerência? Ou a verdade atirada ás fuças da geringonça e do indignado Presidente?

Toda a gente sabe que o castigo, a haver, seria consequência da desconfiança universal, à esquerda e à direita, que a geringonça gerou, e continua a gerar. Por isso, não parecia lógico que fosse o governo anterior quem motivava a punição.

Foi o que aconteceu. O passado deu à República a confiança que o presente não merece. O resto é conversa, ou propaganda barata. E ninguém enfiou o barrete dos 4.000.000.000 milhões do Banif “cientificamente” atirados à pressa para os braços de 2015.

Passos Coelho ganhou este round. Bem o merece.

O que a seguir vier será outra coisa. Ou a gringonça tem algum inusitado ataque de vergonha, ou a marreta cai-nos em cima sem dó nem piedade. Nessa altura, nem o General Schäuble nem o folclore presidencial nos valem.

*

*Atentem na “atenção” que os nossos media deram ao facto: uma pequena local aqui ou ali. E ainda há quem diga que o Pinto de Sousa os queria dominar. Queria, mas não conseguiu a silenciosa cumplicidade que os seu avatares conseguem.

 

28.7.16

1 comentário

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D