Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

DIÁLOGO À ESQUERDA

- António, meu caro, temos que dar uma ripada das boas nesta malta.

- De acordo, Mariana, se tu e a Catarina acham... e a que malta te referes?

- Aos acumuladores de capital.

- Acho bem, mas quais?

- Quais? Já reparaste que andam para aí montes de tipos que chegam ao fim do ano com 50.000 euros no banco? E se a gente obrigasse os bancos a deitar cá para fora o que eles andam a fazer?

- Se calhar não sacávamos muito com a história...

- Talvez, mas dava-se o exemplo. Aos poucos, íamos sacando e amedrontando. O dinheiro é do Estado, o Estado somos nós!

- Lá isso é verdade. Mas precisamos de uma justificação, enfim, uma lei qualquer, para poder começlar a vasculhar.

- Está tudo planeado. Há para aí umas directivas da Europa...

- Pois, mas é só para estrangeiros cá, e para portugueses lá de fora.

- E o que é que isso interessa? Fazes uma discursata, dizes que a culpa á da Ângela, do Junker ou de outro gajo qualquer da direita, e pronto.

- Minha querida Maraina, isso é que é cabecinha, vamos a isso! Quem tiver 50.000... pumba!

- E se alguém te destapa a careca?

- Filha, não penses nisso. Com duas patacoadas na TV dou cabo deles, como de costume.

- Então, força. Se quiseres eu ajudo.

- OK. Combinado. E o imposto do património?

- Isso é de caras. Acima de 500.000, porrada neles!

- E os tipos que tiverem património valioso mas improdutivo, arruinado, ou tiverem buracos nos bancos, ou estiverem falidos e ninguém lhes der um tostão pelos anéis?

- António, António, deixa-te de pruridos, o que interessa é metê-los nos varais. O que interessa é a revolução socialista. Não podemos impô-la à cacetada, vai aos poucos. De outra forma nem terás dinheiro para pagar à função pública, aos teus eleitores, que é quem nos interessa.

- Carradas de razão. Vamos arranjar um grupo de trabalho para baralhar as coisas. Diz-se que ainda não está decidido, entretem-se o pagode e, no meio de três mil linhas do orçamento, a coisa acaba por passar, não achas?

- Isso é que é falar, viva o socialismo revolucionário! Até logo.

- Viva! Sempre ao dispor. Um beijinho. Chau.

 

30.9.16  

14 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D