Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

DISCURSOS DO PODER

Inédita cerimónia, esta da referenda da lei dos feriados. Substancialmente, tal lei é só mais um desfazer do que os anteriores fizeram. Circunstancialmente, o discurso do espertalhão não passou de demagogia e, como de costume, da barata.

Acho bem que o 1º de Dezembro seja feriado, ainda que a argumentação seja fraca. Se estivermos a falar de datas importantes para a Independência, porque não “feriar” a Batalha de São Mamede, o Tratado de Zamora, a Bula papal, a Batalha de Aljubarrota, o fim da Guerra Peninsular, por exemplo? Se querem feriar grandes datas, porque não a conquista de Ceuta, a dobragen do Bojador e do das Tormentas, a chegada de Vasco da Gama a Calecute, a descoberta do Brasil... Ou outras, as dos nossos dias, como as vitórias do Benfica e do FêCêPê na Liga dos Campeões, o nascimento da Rosa Mota e do Carlos Lopes, por exemplo... enfim, o que resta.

Datas para feriar não faltam por aí, como se vê.

E o 5 de Outubro? Aqui , aporca torce o rabo. A data que abriu caminho a 16 anos de bagunça política, de violenta desordem, de total falta de liberdades cívicas, e a mais 48 de ditadura, de censura, de prisões arbitrárias, merece ser feriado?  Feriar 65 anos disto? No mesmo diapasão, porque não feriar Alcácer Quibir, a queda de Goa...  as nacionalizações, o incêndio da embaixada de Espanha, o nascimento do Otelo, por exemplo...

Deixo isto à consideração do chamado primeiro-ministro. Em matéria de datas a comemorar, a fartura é muita e povo gosta de feriados. Sobretudo, dirá sua excelência, os que forem aproveitáveis para desfazer o que os outros fizeram. Tudo o resto é conversa.

 

Por falar em conversa, o PR também entrou em originalidades. Pela primeira vez, um ocupante de Belém veio tecer loas à excelência do orçamento de Estado, conforme com a Constituição como diria o PC, inatacável, fazível se as “condições externas” o permitirem e a exigir, vá lá, o indesmentível “rigor” governamental. Diz o exérctio de comentadores que o PR adiantou dúvidas de peso sobre a exequibilidade do "modelo". É verdade. Mas não deixou, a despropósito, de dar mais umas dentadas aos que apanharam com a gestão da bancarrota, assim emparceirando, mais uma vez, com a coligação social-comunista, que tanto ama. Enfim, disse coisas, nem novas nem originais.  

Por muitas dúvidas, as evidentes para toda  a gente (as outras ficaram no tinteiro), que o gerigoncial orçamento mereça ao PR, o que ficou claro foi o seu comprometimento com ele. Ou seja, perdeu uma oportunidade de ouro para estar calado. Quem muito fala...

 

29.3.16

1 comentário

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D