Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

EMPREITADAS

Quem olha para as faraónicas obras em curso no chamado “eixo central” de Lisboa não pode deixar de se interrogar sobre qual será a lógica que preside às absurdas decisões do senhor Medina.

As pessoas continuam, cidade fora, a tropeçar e os velhos a estampar-se nos buracos dos passeios, continuam a dar cabo dos carros em ruas que não passam de mares de buracos, a dar pontapés em pedras soltas, a torcer os pés e a espetar-se no miserável estado dos passeios, a enojar-se com a negrura porcalhona das pedras das calçadas pedonais que há anos sem conta não são limpas, a suportar o cheiro nauseabundo das sarjetas cheias de fétidas bolhas de ar, a ter prejuízos com inundações devidas ao péssimo estado do saneamento, a olhar o lixo espalhado por todos os lados num inominável descuido. Etc., etc..

Perante este cenário, o que faz a CML? Lança obras de milhões para reduzir a circulação e o estacionamento, avança, com argumentos que nada têm a ver com os interesses dos munícipes, com re-desenhos viários cuja única utilidade visível será a de dar boas facturas a receber pelos respectivos empreiteiros.

Qual será, afinal, o critério que preside às inacreditáveis decisões do senhor Medina e da sua gente? Quem saberá responder? Eu não, nem, por razões de higiene, quero imaginar qual seja.

Hoje, em conferência de imprensa, o senhor Medina veio lançar alguma luz sobre a questão. Com nobres argumentos, como o da “transparência”, o dos conflitos de interesses, o do "respeito pelos dinheiros públicos", etc., anunciou a anulação do concurso para as tresloucadas obras da 2ª Circular. Um alívio para todos nós.

Esperem! Anulado o concurso, o espantoso autarca informa que vai fazer, já, o que “se impõe”: pavimentar, iluminar, sinalizar, etc. Muito bem! Muito bem, se não anunciasse logo a seguir que, esclarecidos os problemas do concurso anulado, lançaria outro com o mesmo caderno de encargos. A coisa fica adiada, mas continua como dantes.

Conclusão, o homem duplica as obras. Para já, faz as que são, segundo ele, necessárias, sendo de admitir que o sejam. Logo a seguir, novo concurso. As obras necessárias são para demolir em breve, a fim de se executar, então, o extraordinário “plano” que prevê trânsito mais rápido com menos velocidade e menos faixas de rodagem, ou seja, a verdadeira e genial realização da quadratura do círculo que consagrará Lisboa como capital da mais absurda modernidade.

Depois queixem-se que haja quem alvitre que tudo não passa de negócios de empreitadas e empreiteiros.

 

2.8.16

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D