Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

INTELIGÊNCIA A RODOS

Um tal Porfírio, “pensador internacional” de serviço nas altas esferas do PS do Costa, vem, em boa hora, informar-nos da imparável continuidade, na agremiação, do espírito pintodessousista.

Pleno de justa indignação, este luminar da teoria do “tempo novo” tece as mais variadas considerações sobre a forma como o seu partido, a Europa e o mundo andam a ser perseguidos, vítimas das mais variadas tramas e conspirações.

O homem não hesita: os funcionários europeus andam a “envenenar” a comunicação social em Portugal, assim se explicando a unanimidade de críticas que a borrada do draft do Centeno vem levantando por toda a parte.

A partir desta brilhantíssima constatação, conclui o fulano que “corremos o risco de que a União Europeia se transforme numa União Soviética sem KGB”. Não faz a coisa por menos. A Catarina e o Jerónimo até devem ficar contentes com a hipótese, ainda que com o indispensável KGB, para poder funcionar.

A caminho da nova União Soviética, a UE “acaba na prática a ser gerida por uma ideologia dominante que não aceita alternativas, e mesmo por uma espécie de novo partido dominante”. Não ficam cheios de medo? É que o homem chama à ideologia dominante a que sobrevive à hecatombe a que o socialismo conduziu a Europa, aliás reconhecida por muitos socialistas.

A “questão dos direitos e dos deveres dos países [acaba] por ser reduzida a um funcionamento maquinístico”. Estaria a pensar nos maquinistas da CP? Não, que diabo, deixemo-nos de brincadeiras: o pensador refere-se à “transformação de discussões políticas em discussões técnicas e burocráticas (fazendo descer a conversa do comissário para o funcionário que segue o dossiê)”, a fim de justificar opiniões próprias. Em língua do Largo do Rato, o que o homem quer dizer é que as miríficas patacoadas políticas do Costa servem para fazer esquecer que as contas estão, mais que erradas, marteladas.

E esta: “há responsáveis em Bruxelas que têm andado a chamar jornalistas para, em off, envenenar a comunicação social contra Portugal, mostrando documentos que deviam ser reservados e dando pretensas explicações que são afinal falsidades”. O que é que isto faz lembrar? Os advogados do Pinto se Sousa, e o próprio, ora imitados à exaustão. Coitado do PS, perseguido, vítima de conspirações, maquinações, perseguido, na sombra, por não identificados e perigosos inimigos!

Os funcionários europeus, “pagos para servir o bem comum europeu, não deveriam deixar-se instrumentalizar, não deveriam deixar-se transformar em armas de arremesso da direita europeia”. Pinto de Sousa não diria melhor em relação ao Ministério Público: tudo manobras conspiratórias da direita, tudo perseguição sem fundamento!

Mas, meus senhores, perora o grande conselheiro, “a História dirá mais tarde que os acordos à esquerda foram um momento relevante da nossa democracia pós-25 de Abril”. Aqui, haverá que concordar com o filósofo oficial do socialismo nacional: o momento vai ser considerado relevante, tão relevante que nunca mais acontecerá nada de parecido, isto se houver juízo na cabeça dos eleitores.

Mas o homem, de ciência certa, conclui o contrário: está “feliz”. Acha que “a tal geringonça... é um instrumento democrático”. O martelo do Centeno também.

Finalmente, a cabeçorra pensadora deste alto canarada chega a esta luminescente ideia: nas presidenciais, se não houve segunda volta foi “por causa dos episódios da última semana de campanha, especificamente as notícias em torno das subvenções”.

Querem maior demonstração de inteligência? Vêem como o nosso estimado PM está aconselhado à altura?

 

2.2.16

7 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D