Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

MAGIA

Nos ominosos tempos em que dominava as artes o senhor Pinto de Sousa, dito engenheiro Sócrates, havia um nobre hábito governamental que ficou conhecido, em meios neoliberais, de direita pura e dura, pela palavra desorçamentação.

Há buraco de 100? Desorçamenta-se isto, e tapa-se o buraco. O buraco é de 1.000? desorçamenta-se aquilo. Há buraco nas estradas? Desorçamenta-se as estradas. E assim por diante, até que levámos com as desorçamentações em cima, e foi o diabo. A magia desorçamentativa virou-se, não contra o mago, mas contra todos nós.

Agora, o chamado governo optou por outra técnica, igualmente feiticeira: a neutralidade orçamental. Após duzentas e quarenta e cinco versões do orçamento, mais trezentas e vinte e quatro erratas, mais as erratas das erratas – o exagero é ligeiro – aí temos, reluzentes, com uma fartura esmagadora, as neutralidades orçamentais: despesas que não são despesas, a contabilizar no éter. Até há algumas que já foram emendadas várias vezes, quase se convertendo – lá chegaremos - em receitas.

As miúdas do BE e o careca (seu chevalier servant) inventaram hoje mais umas, que o chamado governo acolhe com a maior alegria: alargamento da tarifa social de energia, redução da taxa máxima do IMI, congelamento das propinas, etc.. Tudo, mas tudo, sem impacto orçamental, ou seja, orçamentalmente “neutro” (outra palavra da moda).

Acho óptimo. Energia mais barata para mais gente, IMI menos violento, propinas sem aumento, tudo uma maravilha.

Até ao dia em que a falta de impacto, a neutralidade, a inocência contabilística destas e de dezenas de outras minudências politiqueiras, nos caiam em cima da cabeça como cairam as desorçamentações do Pinto de Sousa.

Vão ver.

 

18.2.16

8 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D