Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

MAIS COSTISTA QUE O COSTA

Dona Manuela não se consolou com os anos em que andou a chamar nomes ao seu partido, a condenar acerbamente a mínima atitude do governo da coligação, a chamar os nomes que foi arranjando para chamar ao seu sucessor. A raiva perdura, as feridas que a frustração de ser apeada nas urnas lhe provocaram não passam, a falta de um mínimo de independência ou de altura pessoal, nada disso se alterou um milímetro que fosse.

Desta feita, ei-la lado a lado com as colegas do BE e com os nacionalistas do PC, a dizer cobras e lagartos da Comissão Europeia, a condenar as dúvidas que o orçamento suscita a toda a gente. À revelia de todos os membros responsáveis da sua profissão que se mostram independentes, ao contrário da opinião geral dos governos europeus, dona Manuela alinha nas teses da traição à Pátria dos que têm dúvidas sobre a eficácia das reversões e dos bodos impossíveis do costo-centenismo, e estende o seu anátema aos socialistas da Comissão e do eurogrupo, que acusa de “ideologia dominante na Europa”. Tal e qual, a fazer inveja ao Jerónimo e às miúdas. Quem não acreditar nas maravilhas do orçamento e o disser, está, “por antecipação”, a provocar “falta de confiança”, a prejudicar ou impedir que haja “um clima de investimento”, sendo que quem (as ” entidades europeias”) denunciar “a fragilidade das contas públicas”... é que “suscita a desconfiança”.

Quer dizer: é proibido, sob pena de ser anti-patriota ou anti-português, desconfiar da solidez das contas do costismo. Não são tais contas que provocam a desconfiança, são os desconfiados quem, desconfiando, fabrica a desconfiança.

Quando ela dizia cobras e lagartos das contas do governo anterior estaria a favorecer a confiança? Santa coerência!

 

14.3.16

1 comentário

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D