Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

METROPESSEGADA

 

O governo-que-há-quem-apoie declarou solenenemente (como é seu hábito) que iria construir quatro novas estações de metropolitano em Lisboa. A mesma estrambólica instância, menos de vinte e quatro horas depois, veio informar os indígenas sobre a “verdade”: não são quatro estações, são duas. Duas é que são. E pronto, assim manda a coerência e a firmeza das governamentais intenções.

Quem isto ouviu e não sofre de partis pris conclui o que resta para concluir, isto é, tanto pode ser duas, como quatro, como oitocentas e vinte e nove, como nenhuma.

A verdade oficial agrada, por razões opostas, aos crentes da geringoncial igreja e aos que, heroicamente, mantêm vivo o senso comum. Para os crentes, ver a organização proclamar a generosa intenção de dar estações ao povo, sejam quantas forem, é mais uma razão para a incensar e acreditar nos seus milagres. Para os raros tipos da área do censo comum, estamos perante mais uma aldrabice daquelas tão aldrabonas que até o chamado governo mete os pés pelas mãos sem saber qual é a “verdade”.

Abrindo caminho nesta selva de estações surge inopinadamente a dona Cristas a fazer campanha eleitoral para a Câmara de Lisboa… no parlamento - coisa inédita e inapropriada. A senhora não está com meias medidas e, sem mais aquelas, declara que não são duas, nem quatro, as novas estações. São vinte. Fataça! Grande plano. Dá para discutir, o que deve ser o que se pretende. Isto porque, em matéria de campanha eleitoral, se torna estranho que a patroa do CDS venha jorrar promessas sobre os munícipes de Oeiras, Loures e Amadora, os quais, mesmo que quisessem, não votariam nela.

Enfim, desde da célebre reversão do sensato caminho que o governo Passos tinha, sem promessas nem demagogias, apontado para o Metropolitano, ninguém sabe, nem o Merdina, nem os geringonços em geral, ainda menos o chamado governo, o que há-de fazer com o monstro de que se quer manter proprietário e “gestor”. Nada que não fosse de prever e cuja ruína o tempo não deixará de mostrar.

Enquanto a coisa vai correndo, talvez as distintas autoridades camarárias e governamentais pudessem, ao menos, mandar pôr a trabalhar umas composições que lá têm empanadas, rever os horários e as frequências, não deixar faltar os bilhetes outra vez, dar alguma coerência à sinalética do Metro, etc.. Mas isso, ou é caro ou complicado demais para as mentes privilegiadas que tomam conta do assunto.

Acresce, evidentemente, que o que é fácil e está a é anunciar estações novas, não resolver problemas antigos.

 

15.5.17          

1 comentário

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D