Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

O POLVO

No geringôncico ambiente em que vivemos, não é preciso ser adepto de teorias da conspiração. As coisas passam-se à nossa frente, não as ver é cegueira mental.

A menina Mortágua resolveu debitar as suas teorias da luta de classes, pondo o PS, histérico, a aplaudir. Diz aos ouvintes que terão que perder a vergonha – ela já não a tem, ou nunca a teve – e caminhar para as doçuras do socialismo real. Os ouvintes entram em delírio, evidentemente ansiosos por perder os restos de vergonha que os impedem de seguir avante!

O sem vergonha Costa, cita, ipsis verbis, pletórico de orgulho, o seu santo padroeiro Karl Marx e a teoria da “distribuição” que formulou num dos seus escritos mais extremistas. A malta do PS exulta de incontido entusiasmo.

Falando dos media, mormente televisivos, é fantástico ver como proliferam as não notícias, as horas dedicadas ao futebol e outros truques "informativos" destinados a distrair a plebe do que interessa.

Entretanto, o camarada Pinto de Sousa, vulgo engenheiro Sócrates, é incensado por umas dezenas de foliões e ribombado em primeiras páginas, telejornais e afins, como se tivesse enchido o Terreiro do Paço e dito fosse o que fosse de interessante. As mulheres do PS ficam augadinhas de frenéticos entusiasmos. A juventude do PS abraça o orador, a quem deseja um futuro brilhante. No jornal socialista chamado Público, a respectiva directora chega à brilhantíssima conclusão de que o reaparecimento do tal chamado Sócrates é feito “contra” o Costa, coitadinho do Costa.

Ao mesmo tempo, é lançada uma campanha contra o juiz Alexandre, com vários arautos e aderentes, todos a merecer os mais largos encómios e a mais vasta propaganda. Já faltou mais para prender os juízes e mandar os ladrões em paz.

O Saraiva meteu a pata na poça, e de que maneira. Gerou-se um clamor universal. Fosse o Saraiva afecto à geringonça e algo me diz que não haveria clamor nenhum, como já aconteceu com outros denunciantes de questões de alcova.

Concluindo:

A máquina está montada, o PS tem o cérebro “lavado”, o país está a adormecido, o “contra” é sibilinamente silenciado.

 

Quando acordarmos será tarde demais.

 

25.9.16  

2 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D