Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

PERVERSIDADE

Segundo o guru económico da geringonça, a distribuição rápida de uns largos milhões levaria, inexoravelmente, ao relançamento da economia. Não levou. Levaria ao aumento da poupança. Não levou. Por “simpatia”, levaria à diminuição da dívida. Não levou.

Em vez de aprender a lição dos factos, a geringonça insiste em receitas perversas.

 A TSU é uma delas. Baixar a TSU com critérios de compensação do aumento do salário mínimo é o mesmo que dizer que a economia não suporta tal aumento, isto é, que toda a política económica da geringonça não passa de um engano conceptual, de um embuste político e de um retumbante falhanço. Baixar a TSU só para alguns, e só “a prazo”,  é um erro colossal. Incentivar o patronato a adoptar salários mínimos para ter vantagens financeiras “compensatórias” é um ataque aos interesses de quem trabalha é um retrocesso brutal no plano da justiça fiscal e da justiça tout court, um ataque à tão proclamada “igualdade”.

A TSU devia baixar para todas as empresas, sem distinção de salários ou de contratações. Seria, isto sim, um incentivo económico importante, o qual, se causaria problemas financeiros de curto prazo à Segurança Social, acabaria por financiá-la a médio/longo prazo. É para aquele curto prazo que servem as respectivas reservas financeiras.

Outra receita perversa é a manutenção dos constrangimentos económicos que as leis do trabalho (contra o parecer da OCDE, do FMI, da UE) continuam a provocar. Inverter a tendência reformista que vinha do governo anterior significa manietar a mobilidade laboral, em nome de uma “estabilidade” estúpida e, mais uma vez, de resultados comprovadamente ruinosos. Até o tal guru da geringonça, Centeno de seu nome, apesar de ora “esquecido”, é, ou era, desta opinião quando estudava o assunto no Banco de Portugal!

A perversidade prolonga-se nos contratos colectivos, forma de obrigar a liberdade de cada um a submeter-se aos ditames de quem não representa outra coisa que não seja superestruturas político-sindicais, não de carácter social mas de mera fé ideológica.

Substancialmente, a política da geringonça tem todos os ingredientes para manter a paralisia social e a ruina económica.  

Dirá quem “observa” que o culpado não é o PS, mas aquilo que a “estabilidade” política impõe e a que o PS não pode deixar de se submeter: as exigências dos comunistas do PC e do BE.  Será? Duvido. Ninguém sabe o que é o PS do Costa, se um coitadinho nas malhas que os outros tecem, se são os outros que fornecem ao PS os argumentos de que precisa para executar o seu próprio projecto, negando um passado onde houve sempre alguma dose de seriedade.

É isto o mais inquietante. E o que a presidencial cegueira santifica.

 

24.1.17

4 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D