Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

SALÁRIOS PARA O POVO!

Não há dúvida que, excluídas as conhecidas trafulhices, esta história do negócio dos bancos foi chão que deu uvas. Isto de vender dinheiro, ou seja o que for, abaixo ou muito perto do preço de custo, não dá asas a ninguém. Não admira que o sector, outrora vicejante, esteja nas ruas da amargura. Parece que se exceptuam os negregados bancos espanhóis, mas isso é lá com eles. O BPI, dizem, não estava mal de todo, pelo menos até se ver envolvido, com a ajuda dos chefes Costa e Sousa, em tricas com a EU e com a dona Isabel, espécie de rainha do Congo em versão séc. XXI. Até o Montepio, que não é um banco mas é um banco, anda para aí, é vê-lo, a ranger nas aduelas.

A isto vem juntar-se a CGD, impoluto banco do Estado, mergulhado em imparidades, tanto de minorcas populares com casa própria como de cavalheiros que lhe pediram dinheiro para comprar acções do BCP a seis euros e têm agora um ou dois míseros cêntimos por cada uma.

Uma celestial instituição pública, veja-se bem, a mendigar uns quatro mil milhões para se aguentar nas canetas! Na oportunidade, os partidos comunistas e o do chefe Costa, tão anchos em lançar os seus anátemas sobre o socorro a horríveis privados, são unânimes em aprovar seja quantos milhões for para a CGD, só não o tendo feito já porque as antidemocráticas gentes da “Europa” têm metido uns engulhos na coisa.

O que vale é que o chamado governo não hesita em, prontamente, tomar as decisões adequadas. Primeiro, aumenta o número de administradores de 12 para 19. Muito bem! Depois, trata de os remunerar comme il faut, isto é, de excluir os seus ordenadinhos de qualquer limitação legal. Ainda melhor!

É claro que, no parecer do espantoso Centeno, os novos e belos salários dos dezanove se justificam plenamente: a culpa é toda do sector privado, disse. Carradas de razão: então, se os accionistas dos outros bancos aprovam bons salários para os seus, que há-de o Estado fazer? Não é accionista, e accionista totalitário? Era o que faltava! Eis, com certeza, pelo menos no parecer do ilustre camarada, uma boa aplicação para os tais quatro mil milhões que, em Bruxelas, uma súcia de malandros e neoliberais teima em não aprovar.

Demos graças à nossa boa sorte pela existência do chamado governo.

 

10.6.16

4 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D