Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

SINA DE COIMBRA

 

Lá para os anos vinte/trinta do século passado, havia em Coimbra uma coisa chamada CADC, Centro Académico da Democracia Cristã. A ela pertenciam altos universitários, Salazar e Cerejeira entre eles. A doutrina era dita derivar da doutrina social da Igreja Católica, vertida em várias encíclicas papais que se opunham ao liberalismo e ao comunismo.

A instabilidade dos últimos anos da Monarquia Constitucional, agravada pela violência e a repressão da I República e pelos desaires da guerra, instilava na maioria dos portugueses o desejo de uma mudança, fosse ela qual fosse, que restaurasse alguma ordem.

Os intelectuais do CADC “cruzaram” a doutrina da Igreja com a situação do país e criaram um conceito de democracia cristã que pouco tinha a ver com os seus teóricos europeus, antes se revia em integralismos de diversa origem, mais próximos de Plínio Salgado, António Sardinha ou Charles Maurras do que de Maritain ou Mounier. Viria assim o CADC a ser um dos esteios filosóficos da II República: uma “democracia” orgânica”, “corporativa”, de partido único, com uma relação íntima mas conturbada com a Igreja.

As boas intenções dos académicos de Coimbra acabaram na fundação de um regime que pouco tinha a ver com a democracia cristã. Esta viria a triunfar, lado a lado com a social democracia, depois da II guerra mundial.  Em Portugal, a II República, como se sabe, não acompanhou esta evolução. Enquistou na doutrina criada, sendo hoje legítimo duvidar que alguma vez tenha tido preocupações outras que não as de fundar e segurar o regime saído da Constituição de 33.

 

Muito tempo passou. Nos nossos dias, uma instituição paralela ao CADC pontifica em Coimbra, com forte e feroz presença nos media. Trata-se do CESUC, Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, onde pontificam figuras do calibre de Carvalho da Silva (CGTP/PC). Uma institução que, a partir de “estudos”, se dedica a educar a opinião pública em sentido único, o de uma esquerda intelectual de inspiração marxista. Para quem passe os olhos pelas intervenções públicas da instituição, claro fica que os tais estudos são construídos de forma a dar suporte estatístico-filosófico a formas mais ou menos evidentes de socialismo de esquerda. Uma espécie de CADC de pernas para o ar. Só que bem mais próximo do poder, restando saber quando e se se apropriará de todo ele. Com quem, já se sabe.

Será sina de Coimbra servir de berço a filosofias “democráticas”?

 

2.5.17     

1 comentário

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D