Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

SOCIALISMO SAUDÁVEL

 

Quando olhamos a obra da geringonça no sistema de saúde ficamos mudos de espanto com o quanto de mal se tem podido fazer ao longo dos últimos dois anos. Ontem, era relatado que o tempo de espera para uma primeira consulta está em mais de 1.800 dias, sendo que, em casos graves e urgentes, o feliz contemplado possa ter a fundada esperança de ser atendido cerca de 30 dias depois de exposto o caso. Diz a maluquinha que manda nos enfermeiros que se chega ao ponto de esconder as macas debaixo da escada para não prejudicar o bom aspecto. E não há quem não diga mais cobras e lagartos sobre o que se passa.

A saúde pública transformou-se num saco de gatos. Todos, médicos, técnicos, enfermeiros, auxiliares, “agentes operacionais”, tudo minha gente se arranha como pode, tudo quer mais dinheiro e menos trabalho, tudo diz que a culpa é do governo. Este, passados dois anos e esgotada a falácia da “culpa” de Passos Coelho, entretem-se a dizer que vai mudar o Infarmed para o Porto e que, um dia, há-de haver um grande hospital em Lisboa. As dívidas acumulam-se sem parar, às centenas de milhão, aos pontapés. O sistema, como é notório e indisfarçável, está em colapso acelerado.

O cidadão, esse, vai aguentando como pode. Como os doentes, felizmente, são muito menos do que os que têm saúde, não contam para as sondagens eleitorais, o que é uma “boa” razão para não lhes dar abusivas prioridades.

Quem pode vai recorrendo aos seguros e à saúde privada, única que vai funcionando e melhorando todos os dias. Dado tal pecado, é decretada pelos parceiros da geringonça como inimiga do povo e do sacrossanto Estado.

A ADSE, único sistema público com alguma eficácia (porque recorria ao sistema privado) entrou em crise: 12 milhões de prejuízo em 2017, contra 200 milhões de superavit em 2014. Malhas que a geringonça tece. No tempo de Passos Coelho era o governo acusado por ter aumentado as contribuições para a ADSE, a qual não se destinava a ter lucros. E agora? A geringonça baixou as contribuições? Parece que não. Mas arranjou uma panaceia muito prática para os resultados da sua gestão: pagar menos, isto é, atacar a saúde privada para que fique no mesmo estado da pública. Deve ser uma questão de moral republicana e socialista.

Uma última observaçãozinha. Alguém fez, ou faz, as contas aos dois sistemas, a fim de responder a esta simples questão: qual é, para o Estado, o mais caro? Qual o mais sustentável? Qual o mais eficaz, em termos de custos/benefícios? Ninguém sabe, nem interessa saber. É o socialismo, estúpido!

 

22.1.18

11 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D