Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

TERRA MILAGREIRA OU NEM POR ISSO

Afirma a geringoncial propaganda que a “devolução de rendimentos” é razão para o crescimento económico. À primeira vista, a coisa passa. À segunda, vemos que a tal devolução de rendimentos se limita às hordas de dependentes do Estado, funcionários e pensionistas. Os outros ficam de fora, pela simples razão de que a economia em geral não gera rendimentos para lhes pagar mais. Por outro lado, e segundo o INE, o rendimento das famílias ( dependentes e não dependentes do Estado) subiu 79 euros/mês em 2015, coisa que, daí por diante, não aconteceu.

Outra geringoncial razão para o crescimento é o aumento do consumo que a tal devolução proporciona. Mentira, diz o INE: o crescimento deve-se às exportações e ao turismo, não ao consumo, que continua mais ou menos na mesma. Se aliarmos isto aos miseráveis números da poupança, à nova corrida ao crédito pessoal e ao investimento quase nulo, verificaremos que todas os triunfalismos ou simples júbilos partem de histórias mal contadas.

Por outro lado, os problemas da banca e da dívida não viram evolução que pareça justificar qualquer optimismo, bem pelo contrário. Não colhe, por exemplo, andar a dizer que os 2,5 mil milhões que o Estado enterrar na CGD não contam para o défice. Marteladas nas contas ou dívidas debaixo do tapete (especialidades socialistas) acabam sempre por dar mau resultado.

Tudo isto num cenário em que os geringonços, campeões do Estado social, têm a saúde crivada de dívidas que não param de crescer (e os serviços a piorar), a educação a aumentar brutalmente as despesas ao mesmo tempo que se dedica a experimentalismos bacocos ou ideológicos, a  Segurança Social, sejam quais forem os disfarces e as narrativas, em estado pré-comatoso, etc..

Temos os números do emprego a subir, e ainda bem. Mas nem um só dos números que vieram a público esclarece de que emprego se trata, em que áreas e em que termos. O que, com um governo teoricamente inimigo da “precariedade”, faz pensar, não faz?

(à laia de declaração de interesses, informo que nada tenho contra a precariedade e que acho que todos os contratos de trabalho deviam ser individuais – regulados, claro – e ter pazo; opiniões que esclarecerei quando me apetecer)  

Reformas do Estado, zero. O problema é que todas as reformas que o bom senso impõe e a UE propõe, vão ao arrepio dos desejos dos parceiros do PS e de muita malucagem dentro do próprio PS.

Razões de esperança? Não sei se, mesmo com grande esforço de boa vontade, é possível encontrá-las, pelo menos a médio e longo prazo.

O que foi interrompido na lenta e dura recuperação do país vai deixar marcas muito fundas. O que resta não chega. O que se pode prever é um susto.

Os milagres da geringonça têm pés de barro.

 

26.5.17

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D