Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

BOYS

 

Já há uns dias circulava, nos mentideros da política, a história daquilo que talvez seja o mais grave escândalo do socialismo socrélfio: o terminal de contentores de Alcântara.
Falou-se, á boca cheia e com a propaganda do costume, na grande obra que o estado socretino iria realizar na zona. Túneis ferroviários, requalificação urbana, “abrir” o rio aos cidadãos, etc. blá, blá, blá.
A Câmara Municipal de Lisboa não era tida nem achada para a coisa. Os planos do governo não tinham nada a ver com os da CML.
O senhor Costa não esteve presente na cerimónia em que o desbocado Lino, na presença do senhor Pinto de Sousa, anunciou urbi et orbe (leia-se para RTP ecoar), mais esta grande realização do governo.
A “revolta” do senhor Costa ficou-se por aí. Deve ter sido aconselhado a calar-se como um rato, o mesmo acontecendo ao caloteiro Fernandes e á grande líder dos Cidadãos por Lisboa, dona Helena. O poder é o poder, o resto são cantigas.
 
Facto é que, diziam os mentideros e veio a confirmar-se, a “abertura” do rio aos cidadãos se consubstanciou num mega terminal de contentores laboriosamente negociado com a empresa para a qual, cirurgicamente, tinha há pouco sido designado um novo líder: nada menos que o número dois do PS!
Podiam pôr os contentores em vários outros locais. O estuário é largo e tem mais espaços. Setúbal agradecia a coisa. Em Sines estão milhares de milhões enterrados á espera de oportunidades. Cais quê? Nem pensar. A coisa tinha que ser colocada num local onde já havia uma concessão, a fim de evitar concursos públicos (que chatice!). Era só “alargar” a concessão, em espaço e em tempo, e estava feita a coisa, ou seja, estava realizado o primeiro grande triunfo do senhor Coelho na sua excelsa e eficaz qualidade de CEO. Para as más-línguas, ficava explicada a razão da nomeação deste extraordinário “gestor”, muito conhecido, como tal, lá em casa, isto é, no Largo do Rato.
 
Qualquer empresa privada, da tasca da esquina à grande indústria, antes de gastar dinheiro consulta o mercado à procura das melhores condições. O estado socialista não pratica esta regra básica. A regra básica é a do favorecimento dos boys. Doa a quem doer.
 
Mais um exemplo da moral republicana.
 
8.10.08
 
António Borges de Carvalho

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D