Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

NEO-NACIONALISMO

 

O “referencial” da III República que dá pelo nome de Mário Soares presenteou a Nação com mais uma artigalhada político-obamista.
Desta vez, tristemente, as coisas ficaram ainda mais confusas do que é habitual.
 
Na opinião do ilustre senhor, a principal crise é “político-moral”, ou “crise de valores”. A parte económica e financeira é coisa de somenos importância. Relevante será criar “um novo paradigma”, que ninguém sabe o que é nem o articulista se dá ao trabalho de explicar, um “paradigma” que acabe de vez com o neo-liberalismo, coisa que o nosso bem-amado referencial também não sabe bem o que seja, mas que, de braço dado com o senhor George Bush, é fonte e causa de todos os males deste mundo, da fome à caspa, da guerra ao colesterol.
O nosso homem não sabe que esse repugnante neo-liberalismo tirou da mais profunda pobreza e trouxe para a via do progresso económico e social biliões de pessoas que, há muitos séculos, outra coisa não conheciam que não a miséria e a fome (muitas vezes por causa do socialismo), e aportou à comunidade global novos valores e novas formas de convívio, de comunicação e de possibilidades de compreensão e de vida em paz. Não sabe ou não quer saber?
Para ele, só o socialismo, o controlo feroz das economias (e das pessoas) pode levar a um mundo em que os valores (dele) tenham direito de cidade. O caminho de tantas e tantas “vítimas” da globalização e do neo-liberalismo é coisa que, para ele, não existe.
O que existe, para ele, é o lado mais negro de tudo.
E o que existe, nele, é um indisfarçável quão acéfalo júbilo de ver um sistema em crise, o enorme gozo que as desgraças do mundo lhe causam, o sadismo sem freio com que comemora tudo o que tem corrido mal, o anátema inquisitório com que condena todos os que não comungam das suas ideias de “progresso” socialista.
O antigo dirigente pró-americano – se não fossem os americanos jamais chegaria onde chegou -, o antigo político pró-NATO, o homem que em épocas distantes (quando ainda tinha alguma consciência da realidade), meteu o socialismo na gaveta, diverte-se, com a maior alegria, a condenar o sistema que o promoveu, e a achar que a presente pneumonia do capitalismo é um cancro congénito e incurável.
 
O senhor Bush ia levando com dois sapatos? Óptimo! O sapateiral “jornalista” é um herói! Os tipos que matam milhares de civis todos os dias no Iraque e no Afeganistão são uns heróis! Os aiatolas merecem o maior dos respeitos!
Tudo que se seja anti-americano, anti-ocidental, anti-cristão e anti-liberal é bom!
  
É claro, São Barak, novo padroeiro do Dr. Soares, vai arranjar tudo, dar cabo do negregado neo-liberalismo, do liberalismo tout court, acabar com as guerras, com a tortura, seguir à risca o programa político que o Dr. Soares para ele inventou.
 
A Europa é que é pior. Desta vez com razão, o Dr. Soares queixa-se da falta de uma resposta “única” da Europa à crise. São Barak, esse vai arranjar uma resposta, uma mezinha salvadora, “única” para todos os Estados da União. Na Europa, é o que se vê.
O problema é que, depois desta análise, fácil mas razoável, o senhor parte para um remédio pelo menos paradoxal. Deixa de advogar uma resposta unida da Europa para defender uma resposta nacional! Não cansa: por três ou quatro vezes, o Dr. Soares repisa e sublinha que a resposta à crise tem que ser nacional (o itálico é dele).
É comum à esquerda adoptar o neo-nacionalismo. Só não se sabia que o Dr. Soares alinhava com bascos e catalães, com chechenos e sérvios, no nacionalismo de esquerda!
Procurando resolver a insanável contradição, aventemos que, se calhar, o que ele quer dizer é que nos devemos “unir” para, todos juntos, dar resposta à crise e encontrar, nacionalmente unidos, o tal novo paradigma. Não irei tão longe quanto argumentar que já o Doutor Oliveira Salazar dizia o mesmo. Mas arrisco esta interpretação: o Dr. Soares quer que se baixe bandeiras para que todos, em uníssono, atrás do senhor Pinto de Sousa, caminhemos na gloriosa marcha para os amanhãs soaristas; quer que o Doutor Cavaco meta a viola no saco; quer que a dona Manuela se cale; quer que o Alegre deixe de chatear; quer o Jerónimo e o Louça nos varais. Todos, todos unidos, obedientes, agradecidos, veneradores e obrigados, jubilosos, de braço dado com o senhor Pinto de Sousa e o socialismo da treta.
 
Que o Menino Jesus e o 2009 tragam algum discernimento à cabecita do simpático ancião!
 
24.12.08
 
António Borges de Carvalho

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D