Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

ADEUS?

Tenho andado com a tentação de fechar este blog. Há quem se queixe, não serão muitos, mas são de estimação. Custa-me deixá-los.

O IRRITADO nasceu em 20 de Abril de 2006. Tem vinte e dois anos. No caso, é idade provecta, como a do dono.

O problema, o que me desinspira, é o que se passa à nossa volta. Temos que aturar um mentiroso do calibre do Costa, a meter o Passos no lixo com as políticas “troiquistas”. Vai muito mais "além da troica" do que o Passos. A diferença é que o Passos não tinha dinheiro, o Costa tem, e muito. O Passos dizia verdades duras, o Costa mentiras redondas, uma lata que ultrapassa a mais fértil imaginação. Costa vai gastar o dinheirinho que lhe pagamos, mais o que vem da UE, sem objectivos nem ideias, nem verdade, até ao desastre final.

O jornal que, há muito costumo comprar (o “Público) é um mar de propaganda esquerdófila, democrática e não democrática. Cada vez pior - com a máscara de uma moderação qualquer é uma banhoca de meninos (sobretudo meninas) a dizer as mesmas bojardas.

Temos que aturar a “ideologia de género”, os seus ubiquos próceres, os seus representantes "legais" e a sua penetração na informação e nas leis.

A direita radical faz, um pouco por toda a parte, o seu caminho, mormente à custa das asneiras da esquerda. Por cá, a esquerda protege o Chega com unhas e dentes, nisso é eficaz, um mar de ignorância e estupidez, a cabeça na areia, muito orgulhosa da sua desgraçada obra. Um tal Coelho – muito conhecido por um dia ter exigido o “feixo da CRIL” - , alta figura autárquica do PS, exemplarmente consegue boicotar iniciativas sociais por não serem esquedistas de raiz. Um exemplo entre centenas de outros.

As pessoas são contra tudo o que queira dizer progresso, economia, produção de riqueza. Contra o petróleo, contra o lítio, contra os OGM, contra as azeitonas, as uvas e os abacates, contra o “grande capital” – coisa esta que por cá não existe. Odeiam a energia nuclear, por mais que se meta pelos olhos dentro que não há outra solução com futuro. Assistem, subservientes e conformadas, às patranhas que lhes são oferecidas por demagogos e “correctos”.

Os salários não sobem, mas aceita-se esmolas. Os 125 euros da caridade costista cairam hoje na conta, o povo está satisfeito, e continua a pensar que os “remédios” são de esquerda.

No que ao IRRITADO diz respeito, só uma coisa corre menos mal: o Benfica anda com sorte.

E pronto, a inspiração está de férias. O dono do IRRITADO despede-se. Não digo que para sempre, porque não se diz que desta água não beberei.

Agradeço aos que me têm acompanhado, apoidado, contradito, insultado. Todos fazem parte da família. Agradeço  ao Filipe Bastos que, do alto intocável das suas generosa utopias, tanta porrada me tem dado. Agradeço ao Manuel Bragança, que já lá vai, a sua impecável prosa. Agradeço as asneiras do Tecelão, meu figadal inimigo, que não sei se ainda é vivo. E ao Picaroto e tantos outros, que por aqui andam ou andaram. Só alguns exemplos. Aos anónimos não agradeço, ainda que alguns talvez a tal tivessem direito.

E é tudo. Não sei algum dia o IRRITADO ressucitará. Mas, para já, é tudo.

 

19.10.22   

IRRITAÇÕES

  1. Parece-me que
  2. Eu parece-me que (pleonasmo)
  3. Eu a mim parece-me que (duplo pleonasmo)
  4. Eu, pessoalmente, parece-me a mim que (pleonasmos, redundâncias)

Parece-me que só o nº 1 está certo. Mas a verdade é que o 2, o 3 e o 4, independentemente de outras versões mais “sofisticadas”, são os que “estão a dar”. Todos os dias, nas várias TVs, dos profissionais da coisa a jornalistas, convidados, professores doutores, filósofos, generais e outros que tais, misteres da bola e demais carolas, tudo minha gente usa o 2, o 3 e o 4.

Não sei se os velhos professores de português já morreram todos, se as gerações vivas se esqueceram de coisas simples, se odeiam o português porque é difícil e o que é preciso é que os entendam, não sei. O que sei é que me irritam.

Há muito mais, mas fica para depois.

 

 9.10.22

JUSTIÇA INFORMATIVA

Anda o povo entretido com as alterações climáticas, culpa da negregada humanidade, mas ninguém faz seja o que for para as prevenir.

Uma excepção a registar. O Moedas anunciou um plano monumental de drenagens e de conservação das águas pluviais para fins não alimentares, plano feito em 2004 por Carmona Rodrigues, conhecido bode expiatório do PS, e por este metido na gaveta.

Como o plano não é iniciativa do PS, haverá que confiar que seja levado por diante, e que não seja como um dos anunciados pelo governo, com larga cobertura dos media e destinados a jamais ver a luz do dia.

As mudanças no comportamento do planeta, se as há, são como milhares de outras que se têm dado ao longo de milénios e que têm tanto a ver com a humanidade como o trazeiro tem a ver com as calças. Mas a humanidade entretem-se com contrições idiotas em vez de fazer alguma coisa que, nalguma medida, possa prevenir as consequências de fenómenos naturais de raiz cósmica.

Por isso que seja de saudar a iniciativa do Moedas, a que nenhum canal de notícias deu um segundo que fosse de tempo de antena.

 

5.10.22   

SONDAGENS

Os conhecedores destas sofisticadas matérias têm adiantado dezenas de explicações para o gigantesco falhanço das sondagens no Brasil.

Das duas, três: ou as empresas de sondagens são umas aldrabonas (aprenderam com as  Portuguesas?), ou o Bolsonaro tramou e realizou uma monumental chapelada, restando saber onde e como, ou... qual é a terceira?

5.10.22

ATRASO DE VIDA

Anda o governo muito atarefado com os “leilões solares”. Porquê? Porque os tais leilões - julgo que compras de direitos de instalar painéis - estão caros, o que, diz-se, põe em causa a viabilibade dos investimentos.

Não sei como se processam tais leilões. É que, se estão caros (entende-se, se estão caras as bases de licitação), basta não pôr lá os pés para que os preços baixem. A não ser que a regulamentação de tais leilões seja especial, como especiais têm sido os incentivos à produção de electricidade intermitente, a qual todos, de uma ou outra forma, pagamos com língua de palmo. E pagaremos ainda mais se se continuar nesta política. Não é só a guerra a causa do aumento dos preços, coisa que toda a gente sabe mas as “autoridades” escondem. O mesmo, ou parecido, poderá ser dito acerca das intermitentes eólicas.

Hoje é já público e notório, provado e comprovado (até a UE já deu por isso!), que a energia nuclear é a mais constante, fiável, segura e barata forma de produzir electricidade. Mas, enquanto os países civilizados (à excepção da Alemanha, com consequências catastróficas para ela e para todos nós), e muitos que o não são, aceleram os investimentos nesta área, Portugal há décadas se recusa, sequer, a estudar o assunto. Não estaria aí uma boa forma de, com os olhos no futuro, usar os milhões da “bazuca”?

É claro que, por cá, o atraso é endémico e parece não ter solução. O governo não tem a mais leve preocupação ou interesse no futuro, seja a médio ou a longo prazo. Só o imediato lhe interessa. A chusma de “ecologistas”, falsos como Judas, que por aí campeia (todos ou quase todos, assim ou assado, pendurados no orçamento), faria manifestações, artigos de jornal, campanhas nas redes sociais, etc.

O governo ficaria nas encolhas como faz com tudo o que possa chatear.

E nós, muito contentes, a pagar e a deixar o buracos para os netos dos netos.

 

2.10.220

DO MAU AO PÉSSIMO

No dia em que o Brasil vai a votos, o IRRITADO apresenta aos brasileiros as suas sentidas condolências. Vítimas de si próprios, os eleitores estão reduzidos a escolher entre o mau e o péssimo, ou entre o péssimo e o mau. Nem o diabo teria coragem para escolher qual deles é pior.

Só há uma certeza. Ambos são adeptos do Putin e, portanto, amigos dos nossos inimigos.

 

2.10.22

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub