Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

A MONTANHA PARIU UMA MINHOCA


A montanha, laboriosamente construída pelos irmãos Fernandes, pariu uma minhoca.

 

Foi assim:

 

- O Fernandes (José), cujas ambições de poder são mais que muitas, andava há que tempos a tentar dar nas vistas.

Fez os maiores malabarismos inquisitoriais, acusando este mundo e o outro das maiores tropelias.

Aliou-se ao Telles, que estava off side desde que o Soares o contratara para fazer aquele impraticável jardim do alto do Parque Eduardo VII a troco de silêncio em relação à monstruosidade do Corte Inglês e anexos, os quais, noutras circunstâncias, mereceriam a sua “justa” indignação.

Aldrabou o Barreto, que se deixou levar pelas falinhas mansas da criatura.

Inventou o processo contra o Túnel do Marquês, a melhor obra que se fez em Lisboa nos últimos cinquenta anos, parou a coisa, prejudicou tudo e todos, a começar pela CML, e nunca pagou um tostão dos buracos de milhões de que é culpado.

À custa destas provas de amor à cidade, conseguiu o negócio com o BE, que fez dele vereador.

Quando viu que o PS lhe dava mais segurança para o futuro, tratou de “defender o vale de Alcântara”, mediante o apoio aos negócios do Coelho, forma sofisticada de acabar com os compromissos que tinha com o BE.

Ninguém, até hoje, viu fosse que obra fosse saída da sua acção como executivo da Câmara.

Em resultado desta brilhante maneira de ser, a criatura, liberta, triunfante, tem lugar garantido nas listas do PS.

 

- Entretanto, em nobre cruzada contra a corrupção, chamou o mano Ricardo, que era, por afinidades de escritório, não distante de um macacão chamado Névoa, o qual, com o apoio do PS, tinha trocado o Parque Mayer pela Feira Popular.

Juntos, os manos trataram de montar ao Névoa uma armadilha que faria inveja ao major Silva Pais.

O Ricardo convenceu o homem que, com umas massas, lhe seria possível levar o mano a retirar um processo que o mesmo tinha, previamente, movido contra a tal troca.

Sem grandes escrúpulos, o Névoa acreditou no advogado (os advogados têm obrigação deontológica de se calar em relação às acções dos seus clientes).

Não terá ocorrido ao Névoa, nem que o Ricardo não era seu advogado, era-o uma senhora lá do escritório, nem que, por conseguinte, o homem, talvez vítima de uma moral profissional um tanto elástica, não teria obrigação de sigilo.

Devidamente mancomunados com a polícia, os manos montaram uma “trampa” em que, gravando, fizeram o Névoa largar as bocas que foi levado a largar, convencido de que estava a lidar com outra gente.

Depois, foi só processá-lo. A prova estava obtida.

Diz-se que, da tumba, o camarada Barbieri Cardoso mandou aos manos um telegrama de felicitações.

 

- O Ministério Público percebeu que era tudo um mijarete, que os manos estavam bem para o Névoa e vice-versa, e, timidamente, foi pedindo uma pena curta e devidamente suspensa.

O Tribunal percebeu o mesmo.

Percebeu também que o dinheirinho do Névoa se destinava a “propiciar” um acto lícito, coisa que, até há uns anitos, nem crime era.

Vai daí, dá cá cinco mil euros e vai em paz. Uma minhoca saía do pútrido ventre da montanha dos manos.

 

- O Névoa ficou satisfeitíssimo.

 

- Os manos, ainda que vangloriando-se do seu nobre pidismo, dizem que a minhoca é um elefante e que contribuíram galhardamente para acabar com a corrupção.

Isto, tendo sido eles a incentivá-la, ainda que com fins policiais.

 

- Moralmente, os manos são mais corruptos que o Névoa. Este, coitado, só queria resolver o problema. Quando lhe sugeriram uma forma de o fazer, embarcou. Anjolas!

 

- O que os lisboetas querem é alindar o pardieiro em que o Fernandes transformou a Feira Popular e ver o Parque Mayer recuperado (embora perdida, por burra intervenção do Presidente Sampaio, a hipótese de fazer daquilo alguma coisa de jeito).

Por isso, em termos de cidade, vale mais meio Névoa que um milhão de Fernandes.

 

25.02.09

 

António Borges de Carvalho

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D