Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

O medo da verdade

SEPIIIRPPDAACS (Sua Excelência o Presidente da III República Portuguesa Professor Doutor Aníbal António Cavaco Silva) apresentou-se ontem na televisão – já veremos porquê – para tecer loas ao governo do senhor Pinto de Sousa (Sócrates), à tão badalada “consolidação orçamental”, e à excelência da forma como vêm a ser conduzidos os destinos da Nação.
Para quem ainda tivesse dúvidas, julgo que as coisas ficaram claras. Claríssimas. O atoleiro em que nos encontramos fica a dever-se a uma emérita trindade de excelências, a saber: Sampaio, Pinto de Sousa (Sócrates) e Cavaco, ainda antes de ser SEPIIIRPPDAACS.
Em 2005, era preciso pôr as coisas a jeito. Não se podia actuar sem que o PS e o PC resolvessem as suas crises internas. Pinto de Sousa (Sócrates) encarregou-se da tarefa no PS – e saíu-se bem. O PC organizou-se. A esquerda ficou pronta para o futuro.
Faltava acabar com o governo de então. Não era muito fácil, dado o sistema político em que vivemos, ou vivíamos. Daí que fosse necessário pôr os camartelos em acção. Várias personalidades se ofereceram para a nobre tarefa. Entre elas, ressalta o actual PIIIRP. Umas conferências, umas entrevistas, umas acções, umas omissões, e aí está a coisa atada. Sampaio tinha tudo para pôr o chouriço no fumeiro. E Zás!
Logo a seguir entrou em cena o senhor Pinto de Sousa (Sócrates) que, perante o olhar embevecido dos outros dois senhores, e mercê, entre outras coisas, da “campanha eleitoral” do professor, tomou o poder.
Restava a girândola final, cujo êxito dependia, mais uma vez, de Pinto de Sousa (Sócrates). O homem portou-se à altura. Deixou dividir o partido, abandonou o candidato oficial à sua sorte, virou costas ao candidato oficioso (Manuel Alegre prestou-lhe o inestimável serviço de dispersar os votos do PS), e aí está, SEPIIIRPPDAACS é eleito à primeira volta. Sem espinhas.
A trindade ganhou em toda a linha. A gratidão de SEPIIIRPPDAACS é manifesta: o que criticou a outros elogia a este. Sabido que é que SEPIIIRPPDAACS não é dado a gratidões, o futuro dirá o que disser. Para já, porém, a obra da trindade é um sucesso Para os próprios, entenda-se. Para nós é outra coisa.
 
Resta o porquê da entrevista.
Era sabido que Santana Lopes dava, na mesma noite, uma entrevista à RTP.
Parece evidente que SEPIIIRPPDAACS, a dar, nessa qualidade, uma entrevista, ainda por cima a primeira do mandato, o deveria fazer (mais que não fosse por respeito pelos cidadãos) a um canal generalista, com audiência nacional. Não. SEPIIIRPPDAACS vai dá-la à SIC Notícias, e até fora do horário nobre.
Como explicar a estranha atitude? Não é difícil. Havia que ocupar as primeiras páginas do dia seguinte e do fim de semana, a fim de não deixar que Santana Lopes tomasse conta delas. Tratou-se, pois, de numa mera manobra de (des)informação. SEPIIIRPPDAACS não tinha rigorosamente nadíssima de novo a dizer às pessoas. Que apoiava Pinto de Sousa (Sócrates) já toda a gente sabia. Não havia nenhuma circunstância particular que justificasse a intervenção. A não ser, claro, a entrevista de Santana, a que era preciso tirar impacto.
A acções, boas e más, são de quem as pratica.
 
Como lado positivo de tudo isto, registe-se o medo que a trindade em geral e SEPIIIRPPDAACS em particular têm de Santana Lopes. É que, tão bem como ele, a trindade sabe a verdade. E tem medo dela. Pudera. Para a obnubilar, vale tudo. Nem que seja preciso dar uma entrevista às onze da noite a um canal com 2% de audiência. Os jornais tratam do resto, não é?
 
António Borges de Carvalho

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub