Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

ÁGUAS DE BACALHAU

 

Como é do conhecimento público, o senhor Pinto de Sousa criou um número indeterminado de “entidades”, “autoridades”, “reguladores”, etc., assim seguindo a tradicional política socialista - ao tempo de Guterres consubstanciada em “institutos” - de disfarçar o alargamento da função pública e de arranjar empregos para os sobrinhos.
 
A chamada ERC, sinistra coisa destinada a fazer fretes ao governo no âmbito da chamada “comunicação social”, acaba de anunciar que vai investigar a “legalidade” da decisão de acabar com o jornal da dona Guedes. A coisa diz que, com a maior profundidade e consciência, se tem andado a preparar (o que leva imenso tempo, como se sabe, e ainda só lá vão uns quatro meses) para ajuizar sobre se o senhor A tinha ou não tinha poderes para correr com dona Guedes, se o senhor B estava de posse de todos os certificados necessários ao exercício das suas funções, se o senhor C representava, ou não, a redacção da TVI, se a dona D era espanhola, etc., tudo coisas interessantíssimas para ocupar o tempo dos boys encarregados de tão importantes matérias.
Mais interessante ainda: a coisa declarou que, quanto a eventuais “causas políticas” para a defenestração da dona Guedes, não se pronunciaria, pelo menos nos tempos mais próximos. Estão a ver? Causas políticas? Que disparate! Ordens do primeiro-ministro? Que ideia! Manobras do Sapateiro? Estão doidos, ou quê? Combinata socialista? Não sejam parvos! Dictat do Cebrian? Que imaginação!
 
Segundo a coisa, para já é preciso tratar da “legalidade”: dona Guedes foi corrida by the book, ou à balda?
A coisa vai, soberanamente, decidir. Levará mais uns meses, talvez um ano, ou ano e meio, óptimo período para ir recebendo uns ordenados (Deus sabe a falta que fazem!) e justificando a existência própria. Pois se a coisa precisa de quatro meses de preparação, quanto tempo levará para fazer uma investigação tão complicada com a de determinar quem deu um pontapé no cu da dona Guedes?
Certo certo é que quando a coisa chegar às primeiras conclusões já o assunto morreu na opinião pública, já a dona Guedes tem bisnetos, a ninguém interessará saber se foi escovada legal ou ilegalmente. De certa forma, a coisa tem razão.
O que interessa é saber que a dona Guedes foi à vida porque o senhor Pinto de Sousa lhe tinha um ódio de morte. E isso, não há quem não saiba.
O resto, ou é conversa de chacha ou é os ordenadinhos da coisa.   
 
A dona Guedes incomodava o Senhor Pinto de Sousa? Incomodava. Foi para a rua? Foi. Na versão oficial uma coisa não tem a ver com a outra. Mas que se investigue, desde que a investigação leve tanto tempo que não tenha nenhum efeito.
 
De uma forma ou de outra, não é o que se passa com o caso Freeport?
Com o canudo do PM?
Com os projectos de “engenharia” do PM?
Com a compra da casa do PM?
Com as actividades do PM em relação à Cova da Beira?
Com…
 
Tudo vai ficando em águas mornas, até chegar às de bacalhau.
 
14.10.09
 
António Borges de Carvalho

4 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub