Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

TARDE PIASTE

Às vezes, há coisas que fazem pena.

O Dr. Mário Soares não é pessoa que me mereça propriamente pena, mas os nobres sentimentos do IRRITADO, neste caso, sobrepõem-se à escarninha mentalidade do autor.

 

Que teria passado pela cabeça do ancião para dizer aos cabo-verdianos que jamais se deveriam ter tornado independentes?

Então um homem que fez tudo o que estava ao seu alcance para os obrigar a ser independentes – em Cabo-Verde nunca houve luta armada – vem agora dizer que foi asneira?

Então os direitos dos colonizados?

Então os ventos da história?

Então a autodeterminação?

Foi tudo para o caixote do lixo?

Então, 35 anos depois, o Dr. Soares vem negar o que foi a principal obra da sua vida?

Então o Dr. Soares lembra-se de dizer tal coisa ao único novo país que lucrou com a independência?

 

Interessante é verificar que o senhor parece atribuir o erro da independência aos cabo-verdianos, como se ele, Soares, nada tivesse a ver com o assunto. Os cabo-verdianos independentistas, é bom dizê-lo, jamais tiveram apoio popular para a mais leve acção armada, nunca passaram de paleio e, para defender as suas ideias à cacetada, como é sabido, serviram-se dos guinéus, na Guiné. Em Cabo-Verde, ‘tá quieto!

Não se tornaram independentes, foram tornados. E é quem tal os tornou que vem dizer que foi asneira sem, sequer, fazer o seu pessoal acto de contrição!

Estará doido, ou encontrou-se com o Alzeimer nalguma esquina? Faz pena.

 

É verdade que Cabo-Verde e São Tomé e Príncipe, se tivessem sido bem orientados pelos descolonizadores e pelos líderes que, para tal, o MFA e o Dr. Soares importaram à pressa, seriam hoje regiões ultraperiféricas da União Europeia e não tinham tido metade das chatices que tiveram e ainda têm.

Aliás, pelo menos em São Tomé, sítio que o IRRITADO conhece relativamente bem, houve vários “descolonizados” de valia – os que não tinham escola de Moscovo ou do MRPP/PC – que preconizavam uma solução autonómica. O actual Presidente da República lá do sítiom era um deles.

Mas a demagogia da descolonização era totalitária. Ou tudo ou nada. Os que pensassem diferente arriscavam a cabeça. Tiveram que se calar. Quem mandava nestas coisas era o Alva Rosa Coutinho, o Cunhal e… Mário Soares!

 

Tarde piaste, e mal, é o que agora se pode dizer.

 

26.4.10

 

António Borges de Carvalho

3 comentários

  • Sem imagem de perfil

    daniel tecelao 26.04.2010

    De ManuelB a 19 de Abril de 2010 às 14:53
    Quando éramos pequenos ensinavam-nos a tratar todos educadamente, sem excepção. Até mesmo os mal-educados, não porque estes sejam correctos mas porque compete a nós sê-lo sempre.
    A sabedoria, o dinheiro, o poder, estatuto, tudo se pode adquirir pela vida fora. A boa educação (que nada tem a ver com classe social ou dinheiro) aprende-se na infância, pelo conselho e exemplo dos pais.

    Tudo isto são conceitos que soarão como de outra galáxia aos ouvidos do eleito do coração (e urna) do Tecelão. Tal como o inglês que fala, as casas que constrói, os primos que tem – as coisas que diz mostram o pouco que todo ele é e o baixo estrato de onde vem e para onde há-de voltar, porque é lá que ele está bem.

    O ex-marido da Senhora Fava bem poderá invocar, numa vaidade fátua de quem chegou da parvónia, que é o 6º homem mais bem vestido do Mundo mas já provou ser, sem dúvida, o mais deselegante primeiro-ministro deste regime.

    Em Dezembro do ano passado soltou um torpe comentário quando se furtava a responder a uma pergunta de Paulo Portas sobre o BPN:
    “Não tenha esse comportamento nervoso, é um comportamento impróprio. Eu digo-o aos meus filhos e digo-lhe a si, porte-se com juizinho. Não me interrompa, o seu dever é ouvir".
    Poucos meses depois tem esta infame atitude.

    “Respecting ourselves guides our morals, respecting others guides our manners”.
    Ser civilizado faz toda a diferença na vida de cada qual, mas para quem governe o nosso país a sua importância é infinitamente maior. Dez milhões de vezes.



    responder a comentário



    De ManuelB a 19 de Abril de 2010 às 15:14
    Em tempo: vale dizer que o adjectivo "manso" pode muito bem e propriamente ser aplicado a pessoas, até como encómio, ainda que na assembleia não tivesse essa acepção elogiosa.

    O Flos Sanctorum refere muitas vezes a mansidão dos mártires e santos como um exemplo a seguir.

    Claro que o Zézito só podia atribuir-lhe o sentido pejorativo e faltou-lhe "finesse" para poder redarguir com elevação e até ironia.
    Também tive uma criada que se ofendia quando dizíamos que parecia espantada, porque achava que o termo apenas se empregava com animais. E quem ficava espantado era eu.

    Com o menino doirado já nada me espanta - e que remédio tenho eu senão suportar mansamente a sua necedade quase bestial.

  • Sem imagem de perfil

    daniel tecelao 26.04.2010

    A suprema hipocrisia e o deslavado cinismo com que se põe o dedo em riste, acusando a torto e a direito de falta de educação,quando na realidade a esmerada educação que supostamente parece deter não passa de um mero equivoco.
    Já tive 22 anos e nunca me passaria pela cabeça mandar o 1º ministro á merda,fosse ele quem fosse,nem que fosse o Salazar.
    Não vejo nessa atitude uma manifestação de coragem,mas um desejo pulsional de agredir o adversário ideológico.
    Aliás esta dinâmica psicológica está sempre presente nos seus escritos.
    Já há tempos tivemos aqui a oportunidade de esgrimirmos opiniões sobre a descolonização,pouco me resta acrescentar.
    Todavia é de registar a sua copiosa mágoa pelas vitimas da descolonização ignorando as vitimas da guerra colonial.
    Não resisti em transcrever a sua alegoria sobre boas maneiras e fina educação, não faltando a tentativa de enxovalho,fica-lhe bem!!!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    O autor

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2013
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2012
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2011
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2010
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2009
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2008
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2007
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2006
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub