Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

DIREITOS TORTOS

 

Um magote de diáfanas criaturas reuniu, em delicado ágape, com Sua Excelência o primeiro-ministro.

Recentemente contemplados com a perversão legal do instituto civil do casamento, os representantes das coligações de pederastas e fufas tiveram a subida honra de partilhar as primo-ministeriais iguarias e de dar um passeio pelas sombras refrescantes dos jardins da oficial residência, em suave comunhão de sentimentos com o seu doce anfitrião.

O IRRITADO sugere que esta prática se torne habitual, isto é, o senhor Pinto de Sousa, coerentemente, devia convidar os representantes de outras categorias de cidadãos beneficiados pela sua douta legislação, como as abortadeiras, os tipos dos cartéis, os boys, além de outras distintas classes sociais que devem maravilhas, de uma forma ou de outra, ao seu governo. O IRRITADO compreende que tal acto de justiça seja de difícil execução dadas as obrigações de agenda de Sua Excelência. Além disso revelar-se-ia oneroso para o Estado, o que, não preocupando o senhor primeiro-ministro, seria pouco popular nos tempos que correm.

Escolheu Sua Excelência, simbolicamente, os defeituosos sexuais, com quem tem particular empatia. Está no seu direito. Diz-me com quem andas…

 

Nas umbrosas áleas dos seus oficiais terrenos, Pinto de Sousa confessou orgulhosamente que a lei do “casamento”, passando a abranger uniões abstrusas, torna “a sociedade melhor”. Em quase duzentos países, somos o oitavo a conferir estes “direitos” à malta do arco-íris. Grande salto civilizacional que ficamos a dever ao senhor Pinto de Sousa!   

 

*

 

Falando de direitos, ocorre perguntar se os casais propriamente ditos não têm direito ao direito que o senhor Pinto de Sousa lhes roubou: o de estar cobertos por um instituto jurídico com determinada configuração, a qual o senhor Pinto de Sousa tornou obsoleta. Por outras palavras, os casais propriamente ditos têm (ou tinham) um estatuto que lhes foi reconhecido pelo Estado, em certas condições e com certas características, partindo de direitos que lhes foram reconhecidos.

E agora? Terá o Estado o direito de alterar a seu bel-prazer os direitos de cada um, isto é, pode o Estado mudar, para os que são casados, a natureza mais profunda do seu contrato?

A resposta é, evidentemente, não, não pode, ou não devia poder.

Só totalitariamente se pode confundir duas coisas de natureza diferente e até oposta.

 

O que o senhor Pinto de Sousa fez não foi dar a uns um direito que não tinham.

Foi negar a outros um direito de que gozavam.

 

*

Ontem “casaram” duas fulanas e dois fulaninhos. Em nome da República, como consta do protocolo em uso.

As raparigas “casaram”, mas aproveitaram logo para protestar. Sim, protestar. É que acham extremamente injusto que as filhas (cada uma tem uma), pobres meninas, não sejam filhas das duas! Isto é, que os respectivos pais, conhecidos ou não, não continuem a ser pais delas! Como se um homem e uma mulher ao casar em segundas núpcias, tendo já filhos, estes deixassem de ter pai ou de ter mãe, para passar a ser filhos de outro, ou de outra.

Donde se conclui que a procissão ainda vai no adro. Com gente como o senhor Pinto de Sousa a (des)governar, acabaremos por tirar os filhos aos pais, os pais aos filhos, acabaremos por ver filhos com duas mães, adoptivas ou não, e com dois pais, adoptivos ou não.

Tudo devidamente reconhecido e acarinhado pela República.

Tudo em nome do “direito”.

Tudo com a bênção do Tribunal Constitucional.

Tudo com a veneranda assinatura do professor Cavaco Silva.

 

Bonito!

 

*

 

 

Acerca dos dois fulaninhos que se “casaram” no Porto, o IRRITADO não tem dados. Mas supõe que afinem pelo diapasão das fulanas.

 

*

 

O IRRITADO deseja a todos as maiores felicidades utero-intestinais.

 

8.6.10

 

António Borges de Carvalho

5 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub