Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

A MORAL REPUBLICANA EM ACÇÃO

 

O espectáculo circense oferecido ao povo pelo camarada Narciso Miranda é coisa de fazer rir as pedras. Não que se perceba o que o homem diz, tais as piruetas, os triplos mortais de costas, o cerebrozinho a espumar aleivosias e acusações, mas porque nem patético consegue ser, só cómico.

O fulano foi expulso do PS mercê da altíssima autoridade do chefe supremo. O senhor Pinto de Sousa, como já não manda no governo nem em coisa que se veja, resolveu virar as matracas para dentro e fazer sangue nas hostes. Diga-se que, por uma vez, com toda a razão. Um bando de traidores resolveu candidatar-se por fora do partido e contra o partido. É assim como se um tipo do Benfica desatasse a aplaudir os golos do Sporting no meio dos “No name boys”. Compreender-se-ia a justa fúria das massas, se linchassem o canalha.

Até aqui tudo bem. Traiu, lixou-se. Certo.

 

O pior é essa chatice da coerência.

Se estão bem lembrados, o camarada Alegre, justamente célebre pelas suas intervenções radiofónicas em Argel, cometeu exactamente o mesmo crime, mas com agravantes de alto coturno. Candidatou-se à Presidência da República não só contra o PS mas também contra o símbolo máximo da moral republicana, o intocável Mário Soares, há décadas canonizado pelas hostes.

Seguindo a lógica republicana aplicada ao Narciso, o Alegre devia ter sido não só expulso como condenado na praça pública, torturado, lapidado, cremado, deitadas à estrumeira as suas malvadas cinzas. Traição maior não pode haver!

E, no entanto, sob proposta do camarada Louça, o Alegre é agora candidato do PS às presidenciais!

 

Quem põe em risco a gloriosa caminhada do PS em Matosinhos, ou Paranhos, ou lá onde foi, é expulso.

Quem concorre contra o PS à “mais alta magistratura da Nação” - como diria o Salazar - não só não é corrido como se torna, com honras de fanfarra, o representante máximo da organização.

 

Isto merece uma reflexão sobre a verdadeira moral do PS, ou seja, a moral republicana, tão do gosto do golpista Sampaio, do colunista Soares e da generalidade dos camaradas e dos filhos da viúva.

Quando a ofensa não faz mossa, isto é, se passa em Matosinhos, ou Paranhos, ou lá onde foi, a dita moral cai a quatro patas em cima do criminoso. Quando, pelo contrário, o reprovável cavalheiro causa estragos de monta, a moral republicana respeita-o e ergue-o aos mais altos píncaros.

 

Nem há moral nem comem todos, dirá quem isto ler.

 

Não é verdade. Há moral, sim senhor. E da boa. Da republicana. Código tanto mais respeitável quanto se rege pelas conveniências de cada momento, se adapta pragmaticamente a cada caso e tem em atenção, acima de tudo, a “categoria” dos que se julga.

Honroso princípio este, aliás cirurgicamente aplicado por inúmeras autoridades deste país, sempre mais atentas à pessoa do suspeito que àquilo de que suspeito é.     

 

14.8.10

 

António Borges de Carvalho

8 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub