Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

O MELHOR DOS MUNDOS

Com a pompa e o serviço público da cartilha, foi anunciado o simplex comercial, isto é, se você quiser abrir um estabelecimento, abre, e pronto.

É de louvar esta atitude das notáveis figuras governamentais. Até parece mentira!

Parece também exagero. Então agora abre-se uma lojeca qualquer, ou uma lojona, seja o que for, sem atender a qualquer regra? Não acham isto demais?

Parece mentira, e é mentira. Parece demais, mas não é.

 

O que se passa não é que tenha havido simplificação ou, no jargão governamental, simplex.

Nenhuma das três mil condições para abrir um estabelecimento foi abolida ou simplificada. Nenhuma das oitocentas e quarenta e nove entidades com jurisdição na matéria foi tirada do circuito. Nenhum dos elementos da montanha de papéis obrigatórios passou a desnecessário ou lhe foi reconhecida a obsolescência, a inutilidade, o carácter de burocracia abusiva e ditatorial. Nenhum dos inúmeros fiscais, funcionários, arquitectos, engenheiros, com competência para o efeito, foi considerado supérfluo ou excessivo. Continua a ser preciso vir os bombeiros, a Certiel, a EPAL, os tipos do gás, da ASAE, da eficiência energética, do diabo a quatro. As licenças, alvarás e concomitantes papeladas são as mesmas.

Tudo está como dantes. A diferença é que se, no sistema actual, pelo menos teoricamente, não se pode abrir um estabelecimento sem a respectiva licença, agora pode-se, tratando-se depois dos papéis. Haverá, porém, um elemento importante: o pretendente a lojista vai ter que assinar um termo de responsabilidade, em que se compromete a cumprir (todas) as regras.

As regras são as mesmas, só que, a partir de agora, vai ser muito mais fácil aplicar as multas, uma vez que há, previamente, um compromisso de honra assinado pelo interessado.

 

O previsível resultado é evidente. Muitos estabelecimentos vão abrir sem respeitar a miríade de condições a que estão sujeitos, nem as desnecessárias, que são muitas, nem as úteis, que são uma dúzia delas. A actividade fiscalizadora vai conhecer um incremento nunca visto. As companhias, as empresas, os burocratas, toda a malta que chateia vai chatear muito mais, vai aplicar a pastilha e dar cabo da vida a meio mundo como nunca visto.

As normas, essas, vão continuar em vigor, ou aumentar, que não só é uma chatice não ter normas para aplicar como o é não ir produzindo mais umas.

Entretanto, o ignaro povo rejubila com mais esta aldrabice do governo. E tudo fica no melhor dos mundos.        

 

30.8.10

 

António Borges de Carvalho

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    daniel tecelao 30.08.2010

    Usando o mesmo preconceituoso raciocinio,diria que o seu ódio resulta de não mamar.
    Mas experimente chorar,pode ser que alguem lhe dê mama!!!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    O autor

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2013
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2012
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2011
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2010
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2009
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2008
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2007
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D
    209. 2006
    210. J
    211. F
    212. M
    213. A
    214. M
    215. J
    216. J
    217. A
    218. S
    219. O
    220. N
    221. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub