Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

ESTÚPIDA ESPERANÇA

Quando Passos Coelho se candidatou a líder do PSD já era conhecido o plano inclinado onde Portugal escorregava em movimento cada dia mais acelerado. Passos Coelho já sabia que nada do que o PM dizia era verdade. Já sabia que o PM e a sua corte de desinformadores e aldrabões não mereciam a mais leve sombra de crédito. Já conhecia a brutal desonestidade da central de notícias do governo. Estava a par da dívida que o socialismo criou e que jamais parou de aumentar. Tinha plena consciência de que, tanto por uma questão de dignidade como pela sua ruína iminente, o mais grave problema de Portugal, a maior força de bloqueio, o cancro da Nação, era o primeiro-ministro, o seu apalhaçado governo e um partido socialista que perdera toda a noção de serviço e toda a honestidade política e intelectual.

Sabendo tudo isto e muito mais, Passos Coelho deveria ter posto no seu programa eleitoral interno a promessa de derrubar o governo com uma moção de censura mal fosse eleito.

Sabendo tudo isto e muito mais, Passos Coelho deveria preocupar-se com uma rápida mudança de rumo.

O que fez? Achou que o governo devia descalçar a bota, e que ele, Passos Coelho, só lhe saltaria em cima com ela já descalçada. Apresentou cumprimentos ao rival, ajudou-o a continuar a enganar os portugueses, fechou os olhos à crise que o PS todos os dias agrava, aprovou um orçamento impossível, deixou passar o PEC 1, e o PEC 2, e vai deixar passar de novo um orçamento sem futuro.

Aquilo que o IRRITADO a seu tempo disse – que Passos Coelho ou agia depressa ou se desgastava – acabou por acontecer com a maior brutalidade. Menos 10% para ele nas sondagens, mais 10% atascados na lixeira socialista.

E agora? Passos Coelho a cair, o PR a apoiar o PS com todas as suas forças, ou com toda a sua ambição eleitoral, sem respeito por nada, nem por si mesmo, os partidos comunistas a prometer as habituais omeletas sem ovos, o CDS aos berros que é democrata-cristão, as “forças intelectuais” a bramir contra o “neo-liberalismo” como se houvesse algum liberalismo, “neo ou não “neo”, em Portugal, como se Portugal não fosse a piscina estatista, esquerdista e socialista em que todos nos vamos afogar, como se o “estado social”, agora na berra, não fosse, como diz a Cavilhas, um sonho insustentável e falido, como se alguém, na Europa ou no mundo, não tivesse há muito chegado à conclusão que somos governados por palhaços, como se, como se.         

 

A não ser que Passos Coelho tenha um ataque de bom senso e nos ponha a viver em duodécimos na esperança que o PR venha a dissolver a AR quando puder e que as pessoas percebem que Pinto de Sousa nunca mais.

 

Esperança estúpida? Talvez. Mas é a alternativa que resta à inevitável queda no abismo que, braços abertos, nos espera.

 

18.9.10

 

António Borges de Carvalho

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D