Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

O QUE A REPÚBLICA MANDA

 

Numa belíssima casa, com uns cem anos de idade, bem tratada, bem conservada, bem mantida, bem habitada, com todas as comodidades e padrões modernos, cercada por um jardim, sem vizinhos paredes meias, houve um incêndio que lhe consumiu o telhado, e mais teria consumido não fora a intervenção dos bombeiros.

 

Cito, ipsis verbis, a notícia do DN de ontem:

 

A Polícia Judiciária vai investigar os fogos ocorridos em menos de 24 horas em dois prédios devolutos de Lisboa colocando em risco os ocupantes dos edifícios vizinhos. Para a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, os proprietários dos prédios sem condições e desabitados deviam ser devidamente identificados e obrigados a pagar a taxa de protecção civil - que as autarquias vão passar a cobrar.

O edifício (aquele a que este post se refere) onde ontem, pelas 11 horas, deflagrou um incêndio foi desocupado há um ano. Era ali que funcionava a esquadra da PSP…, mas a falta de condições do edifício conduziu ao seu encerramento. Segundo fonte dos sapadores bombeiros, as chamas consumiram a cobertura do edifício na Rua…

Por segurança os prédios mais próximos foram evacuados e o trânsito cortado.

 

Esta “notícia” diz praticamente tudo o que haverá a dizer sobre o ambiente político-informativo em que vivemos.

A saber:

- Não há nenhuma investigação da PJ, nem razão para tal, uma vez que é conhecida a causa do incêndio (uma lareira);

- Não houve nenhuma ameaça para os prédios vizinhos uma vez que não há prédios vizinhos;

- O incêndio não ocorreu num prédio devoluto, mas numa casa habitada e bem conservada;

- O incêndio não teve lugar em casa alguma onde alguma vez tivesse havido uma esquadra da PSP;

- Houve uma esquadra da PSP perto do edifício cujo telhado ardeu, mas tal esquadra, abandonada, está inteirinha;

- Não tenho notícia de evacuações dos prédios vizinhos, porque não os há num raio de uns 50 metros, mas admito que tal tenha acontecido, por precaução;

- Não foram postos em risco os seus ocupantes;

- O trânsito foi cortado, não por estar ameaçada a segurança da circulação, mas para permitir a movimentação das viaturas dos bombeiros.

 

Parece que a única verdade contida na “notícia” será a que se refere a mais uma taxa municipal proveniente do socialismo camarário, taxa destinada a extorquir ainda mais dinheiro a proprietários que andam a ser espoliados pelo Estado desde a fundação da República. O que, quanto a conservação de imóveis, nem sequer tem a ver com o incêndio em apreço.

 

Tudo isto não passaria de mais um dos milhares de momentos em que quem tiver conhecimento fáctico de algum caso fica banzado com a capacidade de imaginação de certos “jornalistas” e de certos órgãos de “informação”.

Mas vai mais além. O que esta “notícia” nos diz é que, trinta e tal anos depois do comunismo e do socialismo terem tomado conta deste país, os suspeitos do costume continuam na “consciência nacional”. Tudo o que de mal acontece se deve aos mesmos. Não interessa investigar, sequer informar-se, sobre a origem dos males. Os culpados estão identificados. São os proprietários das casas, são os que fizeram alguma coisa da vida, são os patrões, são os que cometem o crime de, por princípio, nada ter a ver com quem diz “pensar” nesta miserável terra, são os que compraram acções e ganharam dinheiro com elas, em suma todos os que são “maus” por definição, os que não estão do lado dos “bons” por definição.

Que importa se a culpa não é deles? Não dizia o lobo ao cordeiro “se não foste tu foi o teu pai”?

É o caso. O proprietário da casa que ardeu (a sua casa!) não é um canalha de um senhorio que deixou o Estado dar-lhe cabo do património e deve ser taxado pela Câmara, roubado pelo fisco, arruinado pela lei?

Não é, mas devia ser.

Por isso, meus amigos, em Portugal a “notícia” do jornal do amigo Oliveira está certa, certíssima, é o que a República manda!

 

28.12.10

 

António Borges de Carvalho

17 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub