Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

A BUFARIA AO ATAQUE

 

Surgiu nos nossos mais negros horizontes mais uma brilhantíssima organização: a Openliques (OpenLeaks).

Fruto da iniciativa de dissidentes da Uiquiliques (WikiLeaks), a novel organização reuniu na Alemanha nada menos que 3.500 hackers (piratas informáticos, pessoas que violam a segurança dos sistemas informáticos, picaretas, segundo os dicionários). Tudo gente fina. Gente especializada em meter-se na vida dos outros, pessoas singulares e colectivas, dando-lhes cabo do bom nome, dos negócios, da vida, penetrando-lhes na intimidade, na privacidade, nos meios de comunicação, na correspondência, nas folhas de cálculo, nos amores, nas fichas médicas, nas contas bancárias, no que lhes apetecer.

 

O patrão da coisa, um tal Domscheit-Berg, achou que os informadores da Uiquiliques – caso do americano condenado, e muito bem, a prisão perpétua – não estavam devidamente protegidos.

Para tratar de tão grave problema, o senhor Domechaite e os seus “técnicos” inventaram um sistema de tal ordem que você, meu caro leitor, se tiver um inimigo que entre na sua vidinha e a dê, ou venda, nos menos contáveis pormenores, aos jornais, a coberto do anonimato, ninguém, mas ninguém mesmo, poderá saber quem é o tal inimigo.

Apareceram logo 3.500 gatunos confessos interessados na coisa, bem como uns outros, a que a seguir faremos as devidas honras.

É de prever que, dada a enorme quantidade de gatunos existentes à face da terra, a coisa venha a ter um indiscutível sucesso

 

Havia, na moral social e na ordem jurídica, uma norma - entre nós, até está na Constituição e no Código Penal – que condenava a violação da correspondência.

Havia, no vademecum dos jornalistas, uma norma que, reservando em geral o sigilo das fontes, impunha limites deontológicos, designadamente a convicção da sua idoneidade.

A partir da reunião dos gatunos informáticos tudo, mas tudo, pode ser objecto de bufaria, desde o mais secreto segredo de Estado às hemorróidas de cada um. Isto, na certeza que o gatuno jamais poderá ser conhecido, seja pelos interessados, seja pelos jornalistas que se (des)responsabilizam pelo que publicam.

A partir disto, acaba a liberdade, a vida pessoal, a discrição negocial, até os planos da pólvora.

 

Vejamos, nas próprias palavras dos gatunos, o que se conseguiu: trata-se de uma plataforma tecnológica que os interessados instalarão nos seus sites e, assim, poderão receber fugas de informação de forma anónima e segura.

O senhor Domechaite e alguns dos seus parceiros da Uiquiliques saíram desta em rotura com Julian Assanje e levaram a plataforma de submissão electrónica que tinha sido desenvolvida por eles e que permitia aos “whistleblowers” (em português, bufos) entregar documentos pela internet.

Trocadas as coisas por miúdos, a seita do Domechaite roubou o sistema, que era da Uiquiliques e, à custa dele, lançou a Openliques. Ladrão que rouba ladrão…

 

Faltava arranjar parceiros de conhecida e reconhecida laia.

Em Portugal, como não podia deixar de ser, o parceiro encontrado foi o Expresso.

Em alta declaração do mais nobre escrúpulo, a direcção do citado tablóide vem dizer ao povo que, tal como no caso da Uiquiliques, só publicámos o que achámos importante. Antes, lemos, escolhemos, editámos, verificámos.

Pois é. Leram tudo. Publicaram o que lhes deu na realíssima gana. Ora como leram tudo, houve uma data de “leitores” que ficaram a saber tudo. Publicaram material roubado, foram receptadores de material roubado e fizeram negócio com ele.

Não venham dizer que se trata de investigação jornalística. Não há no caso, como não haverá na criminosa associação com a Openliques, seja que investigação for. É pura bufaria. E não há, sequer, por detrás das informações obtidas quaisquer fontes de indiscutível confiança. O que há é a ausência total de conhecimento da identidade de quem passa as informações.

Exactamente como o tipo da ourivesaria que recebe as jóias roubadas à velhinha e que, nem que lhe paguem, quer saber quem lhas passou.

 

Orgulhosamente, a direcção do tablóide confessa o pecado como se de virtude se tratasse.

Irresponsavelmente, as autoridades alemãs fecham os olhos a uma reunião de gatunos destinada a refinar os seus métodos de “trabalho”.

Ignorantemente, uma autoridade qualquer que é suposto ocupar-se da “comunicação social” em Portugal, não dá por nada.

Corporativamente, o sindicato dos jornalistas deve achar muito bem.

Irritadamente, o IRRITADO põe pontos em is que parecem não ter existência para aqueles a quem deviam interessar.

 

13.8.11

 

António Borges de Carvalho

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D