Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

FIDELIDADE AO BOLOR

 

A lusa gente anda mergulhada num mar de loas a essa grande figura da Nação que dá pelo nome de Silva, não Cavaco, nem Cavaca, mas Carvalho da. Não há jornal, TV ou rádio que não se desdobre em elogios. Até o espertalhão Soares teve a amabilidade de, em sonora comunicação ao povo, vir reconstruir as suas pontes para o PC, pontes que atravessa ou dinamita quando lhe convém e acha útil. Desta vez, a fé anti “neoliberal” que o anima – leia-se, o ódio a tudo o que não é do partido, irmão ou primo - levou-o a enaltecer as indesmentíveis qualidades do senhor Silva e a desejar-lhe um grande futuro.

Costuma dizer-se que elogiar os mortos faz parte da delicadeza de sentimentos, tanto das massas como das elites. A grande figura do Silva vai-se embora da central sindical comunista. Talvez por isso, faz jus a loas de defunto. O problema, nosso, não dele, é que vai continuar a mexer. Como andou, tipo Pinto de Sousa em Paris, a tirar um curso, vai dedicar-se à “vida universitária”. Já anda por ai a novidade: vai ser “catedrático”(!), e ensinar matérias “sociais”. Depois de ter mantido os sindicatos na idade da pedra marxista-leninista, vai meter umas ideias trogloditas nas cabecinhas virgens da juventude. Não morreu, mudou de ofício, não de objectivos.

A seguir ao Cunhal, não há outro igual. Menos sinistro, menos ave de rapina, menos inteligente, este Silva conseguiu, durante mais de vinte anos, conservar bem vivo o pensamento do seu antecessor. Linguagem diversa, mais “humanidade”, a mesma fé na propaganda do socialismo real, nos amanhãs que cantam, na luta de classes e em tantos outros slogans da cartilha, já não mascarados de “amplas liberdades”, mas metidos em metáforas “democráticas”.

O resultado está à vista. As massas que o PC domina através da malfazeja organização continuam a pensar que é a “luta”, no conceito de há cem anos, o que lhes melhorará a vida. Por outras palavras, o sindicalismo mais retrógrado da Europa continua a achar que os seus interesses são os que Lenine gritava, não os que o poderiam ligar à realidade, que é muito mais rica e enriquecedora que a insistência em patacoadas ideológicas, mesmo que vertidas em disfarces de pacotilha.

É esta a obra do Silva.

“A luta continua”, ululava ontem a populaça da Intersindical, na ignorância atávica que o Silva, puro agente político, se tem encarregado de manter viva e actuante.

 

Outra figura, ainda mais sinistra, se alcandora no horizonte do futuro da ignorância das massas. Um tal Carlos.

Membro destacado do comité central bolchevista, o Carlos vai conduzir a Intersindical a uma ortodoxia mais clara, tão clara que até os comunistas do BE têm medo dela, como já vieram dizer.

Lá no comité, o Silva há muito andava a ser criticado pelas suas metáforas. O comité central mais retrógrado do universo nem metáforas percebe.

Segundo consta, o Carlos tem mais fidelidade ao bolor.

 

28.1.12

 

António Borges de Carvalho

2 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub