Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

DES-SOCRATIZAR

 

Quando Passos Coelho, aqui há uns meses, disse que não iria falar do passado, entendendo-se por passado o consulado do senhor Pinto de Sousa, é de presumir que estava a ser sincero.

Mas afirmava o impossível: não se pode justificar o que se passa hoje sem recorrer ao que ontem se passou. Não se pode apertar o cinto da malta como se aperta sem dizer porquê.

O porquê está em Paris Está também, estrebuchante e indignado, na tropa fandanga que o estudante rico e emigrado deixou nas bancadas do Parlamento: figuras tão ilustres como o inacreditável Lelo, como o do beiço à banda, como o ladrão dos gravadores e tantos, tantos outros.

 

Por ter dito que faria o impossível, Passos Coelho é agora atacado com a alegação de estar a perseguir o Pinto de Sousa.

Na estranha óptica da tropa fandanga, o senhor Pinto de Sousa, por definição, não pode ser objecto de ataques. E, se tais ataques tiverem boa base – a verdade – então ainda menos!

A verdade, como é evidente, não faz, como nunca fez, parte da deontologia política da tropa fandanga. Para a tropa fandanga, a verdade é uma chatice, um mau hábito que põe em causa a democracia, pelo menos no esclarecido entendimento do pintodesousismo, alta expressão do socialismo democrático.

 

Há muitas décadas, os soviéticos, sob a douta direcção do camarada Brejnev, decidiram des-stalinazar a União. Era insustentável, mesmo para uma sociedade privada de qualquer sombra de direitos, continuar a honrar, como se de um semi-deus se tratasse, um ditador carniceiro, talvez, com Hitler, o mais sinistro, o mais horrível de todos os monstros que a história e a ideologia geraram. Na Rússia e adjacentes, as coisas continuariam mais ou menos na mesma. Mas até aquela gente do PCUS foi capaz de pôr de lado o culto de Estaline.

 

Por cá, é o contrário. Mutatis mutandis, o nosso impensável partido socialista não consegue libertar-se da sombra do horrível demagogo que o dominou e que arruinou a Nação e o seu povo. Menos humildes que o camarada Brejnev e seus sequazes, os socialistas nacionais insistem em não querer reconhecer os males que o seu ex-líder causou. O Seguro, coitado do Seguro, não consegue, por muito que lá no fundo queira, reconhecer publicamente a desgraça que o seu partido, sob o comando do Pinto de Sousa, espalhou aos sete ventos.

 

É pena. A humildade, a contrição, a des-socratização do PS e do país seriam um sinal de dignidade democrática. Mas esta gente parece não saber, nem o que é dignidade, nem o que é democracia.

 

31.3.12

 

António Borges de Carvalho

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub