Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

LIBERDADE E PLURALISMO

 

Não haverá, entre os que nos são politicamente próximos, outro país tão pluralista como nós no que à informação diz respeito. Em Espanha, no reino Unido, em França e por aí fora, os jornais, independentemente da sua seriedade informativa, têm cara. Sabe-se que o ABC é conservador e que o El País é de esquerda. O mesmo com o Times e com o Guardian, ou com o Figaro e o Le Monde. Os jornais, e outros meios, chegam ao ponto de, legitimamente, declarar o seu apoio ao político A ou ao partido B na altura das eleições. Os reguladores, onde os há, dedicam-se a tratar de problemas outros (abusos, investigações ilegais, ofensas à privacidade, etc.), nunca ao “pluralismo” de pensamento ou de informação.

Por cá, ideologicamente, os jornais são uma pessegada. O mesmo jornal é hoje da direita, amanhã de esquerda, segundo os humores ou os interesses do momento, do director ou do patrão. Por outras palavras, o pluralismo obrigatório falseia o pluralismo propriamente dito. É defensável que assim seja? Talvez.


Mas não exageremos. O nosso regulador, uma “entidade” qualquer cujo nome me escapa, anunciou majestaticamente que vai fiscalizar o pluralismo das televisões privadas. Em que consiste tal fiscalização? Mais ou menos no que segue: a “entidade” verificará, ao segundo, se o partido A, que teve xis por cento nas últimas eleições, teve o mesmo xis por cento na televisão, se as fotografias, as entrevistas, os debates, os takes, o diacho, respeitaram ou não o tal xis por cento. E assim por diante, com o partido B e os outros.   

Entenda-se isto enquanto se trata desse monstro ignóbil que é a televisão do Estado. Já que existe... proteja-se a desgraça de tal existência.


Mas nos canais privados? Que é isto? Que liberdade é esta? Que tem a “entidade” a ver com a liberdade de informação, de expressão e de opinião? Que tem seja quem for a ver com isso? Amemos ou odiemos o canal A ou o canal B pelo que veiculam, não por causa do “pluralismo” cronometrado que uns tipos quaisquer  fiscalizam. Estes, já que existem, que se dediquem a fiscalizar ilícitos, informação falsa, ofensas gratuitas e evidentes, enfim, actos que estão devidamente tipificados na lei como crime.

De resto, que tem a “entidade”, o Estado, seja quem for, a ver com a orientação editorial de cada canal?


É sabido, porque evidente, que os canais de televisão, privados e públicos, são poderosas máquinas de estupidificação colectiva. Mas aí, meus amigos, nada a fazer. É outra questão. Poder-se-ia criar uma espécie de polícia para ajuizar desta matéria. Mas, felizmente, não vivemos no Irão nem nas arábias.


E se os tipos da “entidade”, em vez de querer condicionar a informação fossem vender chuchas? Não seria melhor para todos? Não seria melhor para o pluralismo?

 

10.4.12

 

António Borges de Carvalho

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D