Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

ESBORRACHE-SE O CRATO

 

É conhecido de muita gente o sistema alemão do ensino secundário.

Segundo a capacidade (não o estrato social, não a economia ou a cultura familiar), os alunos são avaliados e, por critérios objectivos, encaminhados para diversos tipos de aprendizagem. O objectivo é o de conseguir que a conclusão do secundário seja, para uns, o acesso livre às universidades e, para outros, a competência para o imediato exercício de uma actividade profissional, sem prejuízo de, a termo, poder subir na escala lectiva. Os alemães conseguem, assim, evitar a impreparação de base para o trabalho, por defeito ou por excesso. Isto implica, por exemplo, a formação em empresas, quer para os que não seguem estudos quer para os demais, isto é, o contacto com a vida real, antes de nela entrar como profissionais remunerados.

É indiscutível que o sistema funciona em termos de emprego, de capacidade tecnológica, de progresso científico e de paz social. Terá, como todos os sistemas, os seus casos de injustiça, mas a injustiça não é a base ou a filosofia do sistema.


Vem isto a propósito do recente acordo celebrado com os alemães pelo ministro Crato.

Crato deve estar consciente da profunda inadequação e injustiça do sistema que o igualitarismo constitucional gerou, fundado na doutrina das licenciaturas a esmo, alternadas com a impreparação geral para profissões em que os estudos universitários não são a primeira das condições, ou nem sequer são condição.

Quando se diz que Portugal tem hoje uma nova geração mais educada que em qualquer outro momento histórico, diz-se a verdade. Mas trata-se de uma verdade de Pirro, isto é, a educação recebida não corresponde a nada de verdadeiramente útil à economia, portanto à sociedade. À crise do desemprego, para além de outros males, junta-se a inadequação da nova geração ao mundo do trabalho, ou ao que é preciso no mundo do trabalho dos nossos dias.

Crato procura, pois, uma solução diferente da actual. Vai onde ela funciona, com o objectovo de aprender e de vir a experimentar.


Qual mal há nisto? Muito, muito mal. É o que dizem os “especialistas”, desde já cheios de “preocupações” e erguidos em coro contra a ideia. “Orientação compulsiva”, gemem eles; a CNE (?) está contra, etc. Além disso, imagine-se, a via profissional já é possível para quem tem duas “retenções” (em português diz-se chumbos) no mesmo ciclo ou três em ciclos diferentes. Os “especialistas” acham que assim é que está bem: quem for estúpido, mandrião, calaceiro cábula, então que seja electricista, metalúrgico, informático, etc. Nada a ver com aptidões.  Basta a preguiça e o insucesso.

É gente desta que tem direito à opinião e aos títulos dos jornais. É por estas e por outras altas manifestações de inteligência que temos uma juventude totalmente impreparada para a vida, cheia de canudos, de ignorância e de incapaciades teóricas e práticas,


De qualquer maneira – é esta a verdade a que vamos assistir - ai do Crato se quiser dar uma volta ao que está. Se não se põe a pau, os “especialistas” esborracham-no.

 

7.11.12

 

António Borges de Carvalho

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub