Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

CIVILIZAÇÃO CANINA


Da sua janela, o IRRITADO vê uma zona relvada, jardim e árvores - tristes árvores que nunca foram tratadas, nem podadas, nem guiadas, nem coisa nenhuma. Mas o sítio é agradável. É? Podia ser.

Depois de uns tempos de seca, vinda a primeira chuva, sente-se o cheirinho a terra molhada e a ervinha fresca. Sente-se? Nem por isso.

As criancinhas do bairro brincam, rebolam-se na relva, chilreiam... Brincam? Rebolam-se? Chilreiam? Que ideia! 

É agradável passear pelas ruas do jardim. Agradável? Talvez fosse.


*


Quando vem a primeira chuva, a relva cheira... a mijo de cão.

As criancinhas não podem brincar na relva, porque não se brinca em cima de cagalhões.

Para passear nas ruas do jardim é preciso ir de olhos bem baixos, saltitando por entre a trampa para não chegar a casa a deitar eflúvios de caca pelas solas dos sapatos.

 

*


Olho as verdes áleas. Uma senhora de certa idade, bem posta, oxigeneda, de bota alta e casaco de coiro, anda atrás de um cão preso a uma arreata dourada. De vez em quando, o bicho pára. Urina. Mais adiante, agacha-se e borra-se todo ante o desvelado olhar da senhora. Lindo!

Mais longe, um tipo gordo, com idade para ter juízo, arrasta-se a reboque de um bulldog, ou coisa do género. O bulldog esmera-se em ciclópica cagadela. Depois rega as ervinhas com o produto líquido de uma cuidada alimentação.

Uma menina, toda fataça, mostra o escuro umbigo no centro da faixa de gaja. Liberta um lulu que, feliz, saltita na relva. Alça a perna ao pé do banco da menina e esvai-se em líquidos. Depois, lá vai, e, no meio de um verde salpicado por doces florinhas, deposita o intestinal produto.

São às dezenas as senhoras, os gordos, as meninas, os canídeos, de manhã, à terde, à noite. É a civilização lisboeta no auge da sua qualidade.


*


Contam os jornais que um arraçado qualquer deu cabo do canastro a uma velhinha. Outro banqueteou-se com um bébé. Vêm as estatístisticas. Nos últimos anos, umas dezenas de mortos e feridos pelas sequiosas mandíbulas de inúmeros animais de estimação. Uma veterinária resolveu mandar assassinar o bicho que comeu o bébé. Quinze mil boas almas protestam nas redes sociais. Coitado do animalzinho! A culpa foi do bébé, que não tinha nada que se meter com o cão, ainda por cima às escuras. Providência cautelar! Salve-se a vida ao doce mamífero!


*


Assim vai o mundo. A câmara municipal acha muito bem. O governo não se pronuncia. Os deputados têm medo de ser acusados de inhumanidade, ou de incaninidade. A polícia tem mais que fazer. A associação “Animal”, comovida, refocila de justa alegria. A maioria das pessoas não gosta do sistema, mas alinha com os medos dos deputados. Entretanto, as criancinhas, ou não brincam na relva, ou brincam num mar de caca. As velhinhas são comidas. Mas a verdade correcta ganha. Não é o que importa?

 

18.1.13

 

António Borges de Carvalho

2 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub