Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

VERDADES E MENTIRAS

 

O senhor Portas disse que no relatório do FMI havia coisas boas, coisas a discutir e coisas inaceitáveis. Os jornais titularam, em grosso: Portas arrasa o relatório, Portas acha o relatório inaceitável, mais fissuras na coligação. O senhor Passos diz que o relatório não é uma Bíblia. Os jornais dizem que o senhor Passos acha que o relatório é para cumprir. O Banco de Portugal publica um boletim que infirma algumas previsões do governo, umas por defeito, outras por excesso. Os jornais  informam que o governo errou as previsões, sem falar nas que, do BdP, são favoráveis ao governo. A dona Cristina diz maravilhas da execução do “programa de ajustamento”, mas que ainda há muito a fazer. Os media dizem que há muito por fazer. Ouvir as aberturas dos telejornais faz pensar que estamos todos às portas da morte. Um jornal caiu na asneira de publicar uma sondagem que dava o PSD a subir, o CDS na mesma, o PS a cair. Nem um só dos outros jornais se referiu a tal sondagem. Nenhuma televisão, nenhuma rádio.   

E assim por diante. Não vale a pena. Toda a informação é truncada, “trabalhada”, ou “editada” – moderno eufemismo para censura político-ideológica.

O PS desdobra-se em ambições de poder. Recusa qualquer discussão. Boicota comissões parlamentares que tenham a ver com o futuro. De certa forma, tem razão. Como é possível a uma organização incapaz de deitar cá para fora uma só ideia que seja, entrar numa discussão, séria, seja ela qual for? Como é possível, a uma gente cujo único objectivo é voltar ao galarim seja à custa do que for, conversar sobre seja o que for? O PS é hoje o exemplo mais rasca e mais evidente do que é a partidarite como exclusivo critério de acção e opinião. Recusa culpas do passado como recusa consensos para o futuro. O fantasma de Pinto de Sousa continua a “inspirá-lo”. Depois, há maluquinhas, bêbedas, ladrões de telemóveis, e essa estranha geração de políticos que Paulo Campos ou Vitalino tão exemplarmente representam.  E pouco mais, para além de um líder sem chama nem mensagem nem seriedade.

Venos por aí escarrapachada em outdoors uma manifestação de inteligência do BE: “Habitação, saúde, educação... ou juros?”. O slogan, para além de ordinário e demagógico, é de uma estupidez cristalina. Mas não anda longe da “argumentação” do PS. No fundo, o teor é o mesmo, a “inteligência” é a mesma.  

O governo está só. Dizem que é por não ter “povo”. Mentira. Se assim fosse, não subia em sondagens. Ou não descia tão pouco. Está só na área dos políticos, não na das pessoas. Como o futuro dirá. E também está só na área dos seus próprios canalhas, os pachecos, os mendes, as leites, os capuchos, de um modo geral os que, apesar da cor que ostentam, viram as sua “legítimas” ambições, quer dizer as suas postas postas de lado.

 

18.1.13

 

António Borges de Carvalho                                                                                                                                                                                

11 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub