Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

E COMO É QUE SE SAI DESTA?

Para um lisboeta, pode não ser fácil saber qual o melhor dos candidatos à Câmara. Saber quais são os piores é de caras.
Nenhum munícipe no seu perfeito juízo pode ter hesitações a tal respeito. De uma forma ou de outra, todos os candidatos poderão fazer passar a ideia de são, pelo menos, amigos da cidade. Todos, menos dois.
 
Quem está comprometido com o inacreditável aeroporto da Ota, pode ter estranhas quanto especiosas opções estratégicas. Pode estar enganado, e ter desculpa para tal. Pode estar comprometido com políticas que nada têm a ver com os interesses da cidade. O que não pode é dizer que é amigo de Lisboa, que aposta no seu futuro, que quer o melhor para os alfacinhas. Pois se se propõe obrigá-los a fazer setenta quilómetros e gastar um dinheirão para chegar ao aeroporto, se se propõe desaproveitar as infra-estruturas de que a cidade já dispõe, se se propõe afastar de Lisboa milhões de visitantes, se se propõe acabar com as dormidas de stop over, se se propõe aniquilar a as vantagens relativas que a cidade, caso raro na Europa, poderia ter como hubb internacional, então, minhas senhoras e meus senhores, Costa não. Um tipo que inventou as mais rebuscadas dificuldades e cortes financeiros para as autarquias, não pode, não deve, não merece ser autarca. Venha outro. COSTA, NÃO!!!
 
Um fulano que embarga a principal e a mais fundamental obra pública de Lisboa, que provoca prejuízos de milhões à cidade, que vê as suas pretensões consideradas improcedentes, que não se propõe pagar à cidade os prejuízos que lhe causou. e que tem a monumental desonestidade de proclamar que defendeu os interesses do município, deve ser, por qualquer cidadão com um mínimo de lucidez, liminarmente posto de lado. Para além deste caso, o Fernandes é, manifestamente, comprovadamente, de forma pública e notória, um delator, um bufo, um PIDE après la lettre, um ser abominável, reprovável, que usa a Justiça para fazer valer o que perde a votos, que armadilha terceiros para provar as suas culpas (mesmo que as haja). Uma criatura repugnante. Venha outro. FERNANDES, NÃO!!!  
 
Eis-nos, pois, com dez candidatos. Um deles não faço ideia quem seja. Dos outros, temos um fadista meio tonto e analfabeto, um nazi com estrambólicas ligações ao Opus Dei, uma independente a sublimar frustrações e a pensar que as pessoas se esqueceram do que andou a fazer em Cascais, um maoista requentado e palavroso, um senhor que ainda não percebeu que ou volta para o CDS ou não tem saída, um comunista, coitado, que sabe muito de romances policiais e nada de gestão autárquica, hesitante entre o Mickey Spilane e o Karl Marx, enfunado como um peru a dizer inanidades, e um homem a querer salvar a honra ofendida, além dos candidatos do PSD e do CDS.
O PSD está a contas com as suas próprias asneiras. Já percebeu que, quando decidiu dar cabo dos seus em vez de aplicar todas as suas forças a defendê-los, ofereceu o campo ao inimigo e se meteu num buraco quase tão grande como a passadeira vermelha que ofereceu para a caminhada triunfal do ex-engenheiro. Arranjou um cordeiro para imolar na festa da antropofagia, e pronto.
O CDS está numa de afirmação, o que só lhe fica bem. Tem um candidato para queimar, o que só lhe fica mal.
Resta o Independente Carmona Rodrigues, bode expiatório das frustrações e das falsas moralidades do senhor Mendes.
 
Se ainda fosse possível juntar o Negrão, o Correia e o Carmona, talvez tivéssemos uma safa. Mas não é.
 
A única hipótese de salvar Lisboa da hecatombe da Ota e não só, é denunciar os malefícios do Costa, com o objectivo de pôr ou o Carmona ou o Negrão na presidência, e fazer, após eleições, a coligação que as teria ganho se o PSD ainda existisse, se o CDS andasse noutra, se o Carmona não tivesse sido tão maltratado.
 
António Borges de Carvalho

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub