Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

DA GENIALIDADE DAS PROPOSTAS DO OCO

 

A eleição sovieto-cubana do oco (97%!!!) causou justificado frisson em diversas hostes, à frente das quais se agiganta o campeão nacional da asneira, um que usa o outrora vagamente prestigiado nome de Mário Soares.

Normalmente, estas pletóricas manifestações de unanimidade (97%!!!), de paz, fidelidade e união, se não há uma boa polícia política a tratar do assunto, significam guerrilha, traição e a mais profunda desunião. Isto é sabido, clarinho como o cristal. Acoitados na multidão, os inimigos aplaudem e votam, ao mesmo tempo que pensam: sobe balãozinho, que quanto mais alto subires de mais alto te estampas.

A este respeito, a ver vamos.

Para já, haverá que ir à substância das coisas, isto é, às declaradas opiniões e intenções do feliz oco. Para além das indispensáveis loas aos seus “seguidores” e à organização a que preside, o homem alargou-se na “análise” à situação em que estamos, isto repetindo os clichés habituais do casalinho meia-leca, do Jerónimo, do Carlos, da multidão “pensante” e de várias maralhas mais ou menos iletradas ou fanáticas. Fácil.

Depois, veio o que interessa. As propostas. A alternativa. A afirmação. Antes de mais, disse ele, são propostas que não se destinam a partilhar seja com quem for. Primeiro, o poder. Depois verão. Diálogo, todo. Sempre disponível para dialogar com toda a gente. Desde que, evidentemente, não com o poder actual, mas com os seus futuros súbditos. Muito bem. Chama-se a isto selectividade. Dás-me a faca, depois dizes como queres cortar o meu queijo. Enquanto a faca e o queijo não forem meus, nem penses! Nem faca nem queijo nem diálogo.

E lá vêm as propostas.

A primeira é brilhantíssima: TSU segundo o “volume de negócios”. Depois, digam que o Gaspar é que tem a mania dos impostos! Aqui está uma forma genial de “proteger” o investimento.

A segunda é ainda melhor: obrigar os credores a uma moratória de juros, o BCE a chutar para cá seis mil milhões e a “Europa” a mutualizar metade da nossa dívida. Formidável! É de espantar a influência que o oco acha que tem messe mundo rico a quem deve dinheiro. Com a ajuda desse outro génio do socialismo, o camarada Hollande, vai ser canja!

Há mais. O oco vai arranjar uns setenta e cinco milhões de euros para dar aos desempregados. “Aqui fizemos contas”, diz ele. No resto não deve ter sido preciso fazer contas… Alguém pode discordar? O facto de o oco não dizer como é que vai arranjar os tais setenta e cinco milhões é um pormenor sem importância.

A seguir, veio a sábia intervenção financeira: doze mil e quinhentos milhões para a economia. Fantástico! Neste caso, o oco diz como: baixar o rácio de capital dos bancos, ir buscar mais uns milhões à “reserva” de recapitalização, sacar mais uns cinco mil milhões ao BEI. Tudo somado, doze mil e quinhentos. O IRRITADO curva-se respeitoso perante tão sábias soluções. Só é pena que nada disto dependa do oco. Senão, estávamos safos, não é?

Finalmente, o rapaz garante o aumento do salário mínimo, com o que toda a gente está de acordo, até os patrões, diz ele. Não refere que os tais patrões (em Portugal, pior que os sindicatos, só os patrões) exigem que seja o Estado a pagar a diferença.

No meio desta panóplia de medidas salvadoras, e por causa delas, o oco pede uma maioria absoluta. Porém, como sabe que a não tem nem terá, vai acrescentando que se coligará com quem for preciso e dialogará com toda a gente. Desde que esteja no poleiro. Sem poleiro não há diálogo nenhum! É assim mesmo, ó oco! Um homem é um homem!

Não se diga que o IRRITADO discorda de tudo o que o rapaz diz. O problema é que, tal o seu guru Hollande, o oco não faz a mais pequena ideia de onde está a querer meter-se, pelo menos porque a quase totalidade das suas “soluções” dependem de outros, não dele.

 

Os batalhões do comunismo, às ordens dos meias-lecas e do Jerónimo, disseram do discurso o que costumam dizer de tudo e mais alguma coisa, usando as suas requentadas e estúpidas cassetes.

Cite-se, a fechar, a abertura do Melinho (como é conhecido lá na terra) do CDS: “Não me pareceria muito prudente… fazer um juízo três minutos depois de serem apresentadas (as propostas de Seguro)”. Prudência ou canalhice?

 

1.5.13

 

António Borges de Carvalho

10 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub