Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

EPISÓDIOS DA NOVELA DA TRETA

Este Post andou para aí uns quinze dias perdido no computador. Já requentado, aí vai, com as desculpas do Irritado.
 
Toda a gente percebeu que uma senhora de nome Rocha, obscura militante socialista, tinha sentido na carne o pânico do partido com a eventual candidatura de dona Helena, e tinha tratado de a evitar pelos meios ao seu alcance. Para quem não sabe de quem se trata - o que deve passar-se com 99,99% dos lisboetas - a senhora em causa é a governadora civil do distrito, a seu tempo e a seu jeito nomeada pelo candidato Costa.
A coisa era grave. Dona Helena é mais um Manuel Alegre para o PS, uma fulana cheia de visão de futuro, visão que a levou a desfiliar-se do PS assim que lhe cheirou que ia haver eleições em Lisboa e que não seria a escolhida do chefe. A senhora Rocha tratou de arranjar uma data que puzesse de fora a dona Helena.
Mas o tiro saíu pela culatra. Veio o Tribunal Constitucional adiar a coisa por mais quinze dias, e aí temos a dona Helena com o caminho aberto para se apresentar a roer as canelas do Costa. Uma chatice.
 
Muito justamente, vieram alguns pedir a cabeça da senhora Rocha. Pois se se pôs de joelhos perante os interesses do candidato Costa, o que está ela a fazer no Governo Civil? Que confiança dá aos cidadão no acto eleitoral? É Governadora Civil de Lisboa, ou governadora eleitoral do PS?
Baldada diligência. A senhora fica, de pedra e cal, e dá sinais evidentes de vir a beneficiar, no que ao seu alcance estiver, o candidato que, “como cidadã”, faz questão de, publicamente, apoiar. É a desfaçatez, melhor dizendo, a absoluta falta de vergonha socialista no seu melhor. 
 
Diga-se em abono da verdade que quem pediu a cabeça da senhora foi o CDS-PP. O PSD/Mendes ficou caladinho. Mergulhado na mais extraordinária crise de masoquismo de que há memória num partido político, para o PSD/Mendes, demissões, só as dos seus. Para o PSD/Mendes, o primeiro ministro não tem carácter, mas deve continuar primeiro ministro. Se a senhora governadora favorece um candidato contra outros, porque não há-de continuar no poleiro? Coerência, meus senhores, coerência!
Parece que, para o dr. Mendes, o fundamental é correr com o PSD de todas as instâncias do poder, e garantir que o PS não tenha problemas em ficar com o poder todo, todinho, coisa tão do agrado do largo do Rato.
 
Os camaradas do BE revoltam-se contra a nova data. Dizem que a malta vai estar em férias em 15 de Julho. Pois é. E em 1 de Julho, não vai? Será um raciocínio trotskista/Louçã? Ou leninista/Portas? Ou enverhoxista/Fazenda? Sabe-se que a lógica desta gente não é a mesma das pessoas normais, mas, que diabo, esta é de cabo de esquadra!
 
Das profundezas do Tribunal Constitucional, extraíu o chefe o seu novo Ministro da Administração Interna. Não lhe dá tudo, é certo, só as competências que não saca para si próprio.
Chateado por não ter sido eleito vice-presidente do tribunal, o dr. Pereira, célebre nos jornais por advogar a governamentalização da Justiça, bate com a porta e viaja para o Terreiro do Paço. De certa forma é uma coisa boa, já que fica o TC livre de um fulano que, como é evidente e os factos demonstram, não oferecia nenhuma espécie de garantias de isenção. Adorava saber se não foi dele um dos votos contra a decisão sobre a data das eleições, se é que à altura ainda andava armado em juíz.
 
No meio da pessegada, houve quem argumentasse que SEPIIIRPPDAACS devia ter impedido a nomeação do dr. Pereira, sob pena de cohonestar a monumental ofensa às Instituições que a sua saída do TC consubstancia. Cais quê! SEPIIIRPPDAACS preza, acima de tudo, a cooperação estratégica com o ex-engenheiro. Abrir fendas nesta altura? A dois dias da presidência da UE? Estão a brincar, ou quê? Nem pensar. Para SEPIIIRPPDAACS o caso não passa de um fait divers como outro qualquer. O primado do executivo no seu melhor.
 
O arquitecto paisagista Telles é um dos mais destacados apoiantes do caloteiro Fernandes. Mais um emérito viajante. Foi do PPM, foi da AD, foi do PS (independente!), foi do MPT, foi do PS/PC, agora está no BE, isto se não me esqueço de nenhum apeadeito da sua pluralística viagem. Com um jeitinho, se o Paulo Portas o descobre, ainda acaba no PP. Se o Fernandes ganhasse as eleições teríamos hortas sociais no meio dos quateirões (já viram os executivoas das avenidas novas a regar cebolas?), teríamos o célebre caminho pedonal do parque Eduardo VII para a Serafina (era só preciso calcorrear o vale da Alcântara todinho, para baixo e para cima, coisa óptima para dar cabo do canastro ao mais pintado), seria a coroa de glória de uma vida inteira a atrazar o mundo.
 
Enfim, a pessegada continua. Há mais capítulos, mas ficam para outros posts.
 
António Borges de Carvalho

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub