Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

ARTES PLÁSTICAS E PODER POLÍTICO

 

Há coisas que fazem uma confusão dos diabos.

Parece que um tal Pais do Amaral, fulano que conheço dos media, mas que nunca vi mais gordo e goza da minha soberana indiferença, tinha um quadro pelo qual lhe ofereceram uns milhões. Vendeu-o. O quadro terá ido para França.

Por todos os lados se levantam vozes indignadas. Que não pode ser, que se trata de património inexportável, que o Estado devia impedir o negócio, etc. e tal. Mais. Que o governo, por decisão de um Viegas que parece que foi secretário de Estado, deixou sair a tela. Um horror, uma ofensa à Pátria, etc.e tal.

Punhamos as coisas no sítio. Ninguém põe em dúvida que o quadro estava legitimamente nas mãos do tal Pais do Amaral. Era de sua indiscutida propriedade. Se o Estado, ou a nacional bem-pensância, não queriam deixá-lo passar a fronteira, então que o comprassem pelo preço oferecido pelos estrangeiros. Se não podiam comprá-lo, o que se compreeende, como é possível que tivessem legitimidade para impedir o proprietário de o vender a quem quisesse? Facto é que parece que a têm. Senão não teria sido precisa a autorização do Viegas, não é?

Por outro lado, que diferença faz à Nação que a obra esteja em França ou nas paredes da sala do Pais o Amaral? Diferença, poderá fazer ao dito e aos amigos que lá iam a casa. À Nação, nenhuma. Pelo contrário. Entram uns milhões. Parece que o fulano gosta de investimentos, coisa que o governo adora, a oposição ama e toda a gente recomenda.

Facto é que ninguém sabia da existência da preciosidade em causa. Facto é que tal preciosidade só passou a existir no momento em que o governo, o qual delendus est, decidiu autorizar a exportação, em nome não se sabe bem de quê. Facto é que isto de ter coisas boas, para além de terrível pecado, põe quem as tem sob a alçada de quem se acha no direito de as fruir sem pagar. Facto é que o Estado republicano e socialista e laico, não deve, na opinião dos nacional-pensadores, respeitar a propriedade de cada um, mas sim controlá-la, taxá-la, imobilizá-la, e até apropriar-se dela se lhe der na realíssima gana. Entre outras coisas, é disto que nos devíamos livrar.

 

4.5.13

 

António Borges de Carvalho

6 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub