Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

COMPLICALIS

 

No português iletrado que soe ser usado pelos jornais/rádios/televisões e outros, titulava o “Expresso”, numa pequena local: Provedor aconselha governo face ao ruído (sic!).

Referia o artigo que o Provedor de Justiça anda preocupadíssimo com a poluição sonora, coisa tremenda a que os municípios pouco ligam e que não é contemplada com as verbas que merece, nem com os recursos humanos e técnicos necessários à perseguição dos barulhentos cidadãos.

 

Muito bem. Só que não é verdade que faltem verbas, ou técnicos ou recursos humanos. Estes, é de pensar, não serão técnicos, isto é, tipos que, não percebendo nada do assunto, desempenharão tarefas de chefia, de assistência administrativa ou de auxílio indiferenciado, para não falar em motoristas, secretárias e contínuos.

*

Um fulano que o IRRITADO conhece tem uma loja de cabeleireiro. Anda há uns seis ou sete anos a tentar obter o licenciamento camarário para a sua loja, que funciona na perfeição mas não possui o almejado papelucho da CML.

Aqui há anos, dizia-me o homem que estava muito aliviado porque o Costa tinha inventado um sistema, a que dera o nome de “Simplis”, coisa que garantia licenciamentos rápidos e desburocratizados. O resultado de tão meritória iniciativa foi ter que contratar engenheiros das mais variegadas especialidades, arquitectos de interiores e exteriores, electricistas, canalizadores, todos eles destinados a projectar e descrever tecnicamente o que já estava, com a maior das perfeições, executado há que eras.

Satisfeitas que foram, durante anos, as exigências do “Simplis”, o homem sentia-se na recta final do difícil trajecto técnico, leia-se burocrático.

Baldada esperança. Faltava uma coisa: o “estudo” do ruído. É que, como é do conhecimento público e, com certeza, do Provedor de Justiça, os cabeleireiros são actividade extremamente ruidosa. Os secadores de cabelo fazem mais barulho que um martelo pilão, as tesouras assemelham-se a caterpílares, o ensurdecedor matraquear das latas de laca a assoprar cola só é comparável ao dos canhões de Navarone, etc. Por isso, a CML, para "simplisficar" a vida ao homem, obrigou-o a receber a visita de uma missão técnica que vai julgar da situação, inspecionando o local, indo ao andar superior verificar a transmissão de ruídos através da placa de betão armado que o separa da loja, para o efeito produzindo barulheiras e medindo-as à chegada ao piso em causa, etc.

 

Como se vê, o Provedor não tem razão. Não faltam técnicos, nem recursos humanos, nem dinheiro – é o cidadão que paga a inspecção a que o obrigam! Nem falta preocupação dos municípios com a poluição sonora, designadamente a provocada por esses ruidosos infernos que são os cabeleireiros.

E terá o homem muita sorte se, a seguir, não vier um tipo do Instituto da “Qualidade”, a EPAL, ou outros sátrapas quaisquer, descobrir que a porca de três oitavos da torneira do lava-cabeças devia ser de meia polegada, que o disjuntor da máquina de lavar o chão tem 40 ohms em vez de 30, ou outra coisa qualquer que faça parte do “Simplis”.

 

O Provedor está enganado. Quem sabe da matéria é o Costa, com certeza na nobre intenção de arranjar emprego e “utilidade” para milhares de funcionários e “técnicos” que, coitados, têm o “direito” de infernizar a vida do cidadão, a fim de nos tornar a todos mais felizes e de aumentar a nossa “qualidade de vida”.

 

Assim é que é, ó Costa, o “Simplis”  é qu’induca!

 

1.7.13

 

António Borges de Carvalho

4 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub