Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

NEM UM RATO PARIU!

 

A espantosa vergonha política, administrativa e judicial que esta fase de “preparação” para as eleições autárquicas vem sendo vale bem a pena de algumas observações.

 

Anda por aí meio mundo a tecer as mais desabaladas críticas aos políticos, ao sistema, aos partidos, etc.. Muito bem. Será de pensar que o tal meio mundo pensa que a chamada sociedade civil está ansiosa por mostrar a sua vitalidade e de demonstrar que a democracia não se esgota nos partidos, antes precisa de ser a(pro)fundada - como dizia em tempos a camarada Pintasilgo - através de variegadas organizações espontâneas, fruto das mais puras, solidárias e desinteressadas profundezas da vontade popular.

Aqui há anos, já não sei quem decidiu acabar com o monopólio dos partidos no que ao poder autárquico diz respeito. Não haverá quem não ache bem, IRRITADO incluído.

A lei que tal determina é, porém, igual a tantas leis que por aí andam. Em vez de ir ao encontro de fenómenos sociais concretos e respeitáveis, veio querer criá-los. A sociedade respondeu como está à vista: borrifou no assunto. Escassas candidaturas há por fora dos partidos, as mais delas povoadas por dissidentes, ambiciosos, para-quedistas, vereadores saneados, capuchos cheios de dor de corno e aspirantes a políticos. Nem uma só dessas candidaturas verá a luz da vitória. Pelo que por aí se lê, nem uma tem uma ideia atraente ou original a propor. Puro e simples jogo de ambição e poder. A montanha da “sociedade civil” pariu umas formigas sem asas.

 

Mais engraçado, ou mais triste, é que tal sociedade não só pouco ligou à oportunidade que lhe era oferecida como, que seja legítimo pensar, a excepção que vai confirmar a regra do falhanço dos “independentes” – Oeiras - só logrará êxito no seguimento do que o meio mundo mais critica. A eleição é dominada por um presidiário cuja sombra protectora paira sobre as consciências dos eleitores. Estes, por muito moralistas e anti políticos que sejam, por mais condenatórios se afirmem contra a corrupção, o compadrio, a fuga aos impostos, etc., na hora da verdade estão-se nas tintas para a “moral republicana”, coisa que é brandida por aí como se fosse os dez mandamentos, mas que, se é que existe, é radicalmente imoral.

 

Como se isto não bastasse, a absurda lei da limitação de mandatos, destinada a impedir que os eleitores se exprimam como querem ou elejam quem preferem, ficou ainda mais absurda com a intervenção da dona Assumpção destinada a coonestar a repugnante cobardia nesta matéria demonstrada pelos partidos. Os oportunistas, como o Bloco de Esquerda, desataram a meter processos atrás de processos, eventualmente inspirados pela moral republicana mas destinados, não a clarificar a lei mas a criar mais politiquice e mais intrigalhada.

Desgraçadamente, temos o poder judicial que temos. Em vez de devolver ao legislador a clarificação da lei e se considerar incompetentes para fazer julgamentos meramente políticos, sem nada de judicial, os tribunais comprazem-se em dar o espectáculo que dão, com decisões contraditórias e argumentações inimagináveis. Nem sequer têm a decência de pensar que, sendo os juízes não eleitos, vitalícios e intocáveis pela sociedade, antes se fiscalizando a si próprios, não estão em posição moral ou mental para limitar ou deixar de limitar mandatos seja a quem for.

 

Só mais uma notinha, à laia de astrologia. O oco e seus amigos estiveram convencidos  que as autárquicas eram a sua grande oportunidade de esmagar o PSD. Com o triste exemplo de Guterres, que aproveitou o desastre autárquico para dar à sola, eram favas contadas que o governo ia cair, e lá vinham as legislativas antecipadas para mais uma retumbante vitória.

Mas...

Por um lado, o PM já disse que, seja qual for o resultado das autárquicas, o governo não cai nem deixa de cair por causa delas.

Por outro, a pessegada autárquica dentro do PS é de tal ordem, que não há uma só alma que preveja o almejado land sliding.

 

Boas notícias, no meio da vergonha.

 

23.8.13

 

António Borges de Carvalho         

3 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D