Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

VIAGEM À NACIONAL CHUNGARIA

 

Quem ler as capas das revistas ditas cor de rosa fica impressionado com a quantidade de fulanas tidas por “famosas”, dos seus casamentos e divórcios, das quantidades industriais de namorados e ex-namorados, dos comportamentos sexuais deles e delas, de uma que diz que vai tatuar as partes e de outra que se queixa da aspereza das linguais carícias do parceiro. Iisto para ser “meigo” e decente em relação a tais e tão “famosas” criaturas, e não entrar em detalhes.

Quem passar, de relance que seja, os olhos pelos por tantos programas de televisão, ditos “reality show”, vê as mais rascas narrativas alcandoradas a espectáculo para o “povo”. Deve ser a cultura de que tanto se fala. Até o “serviço público” se dedica à propaganda de lésbicas e quejandos, ou apresenta filmes que fariam inveja ao canal do Playboy.

A chungaria mediatizada transformou-se num negócio florescente e dá ideia de ser o modo de vida de muita gente que adoptou a própria (má) fama como se fosse coisa exemplar, invejável e salutar. Por outro lado, os chamados media - os meios, em português – são capazes de achar que outra coisa não fazem senão “informação”, ou “legítimo exercício e uso da liberdade de imprensa”.

E as mamãs e papás que, embevecidos, põem miúdas e miúdos em exibições completamente impróprias de gente decente, se calhar achando que estão a preparar-lhes o caminho do futuro?

A chungaria é um cancro da nossa sociedade. Pensar-se-ia que se tratava de coisa de pequena burguesia mal educada. Mas não. Anda por toda a parte, entra em todas as classes socias.

 Veja-se o caso deste filósofo e professor que, diz ela, dá porrada na mulher, a qual, diz ele, não passa de uma bêbeda incorrigível. E vem a outra mulher dele, também inteletual e universitária, declarar que o tipo lhe ferrou enxertos de meia noite, com pontapés e facas no pescoço, e mais, que se engrossava com bagaço e lhe pôs os cornos de toda a maneira e feito, julga-se que com cada macho que lhe passava pela frente.

Para o IRRITADO, que não é moralista nem tem nada a ver com a vida seja de quem for, estas e outras realidades de rasquismo militante  têm, acima de tudo, o significado da total ausência de respeito dessa gente por si própria e pelo equilíbrio dos demais. Talvez o IRRITADO seja antiquado, talvez se escuse a perceber o mundo em que vive, talvez os seus valores de discrição, pudor social, dignidade pessoal, vergonha e outras coisas, já não sejam valores. Na filosofia triunfante, os valores do IRRITADO não passam de hipocrisia, cinismo, coisas a que a filosofia triunfante parece também ter mudado o significado.

Poderia dizer-se que estas coisas, não não deviam afectar o IRRITADO, já que não compra revistas cor de rosa nem vê “reality shows”. A verdade, porém, é que ninguém está livre de que lhe metam a chungaria pelos olhos dentro. Ela vai continuar, poderosa e imperial, a fazer correr rios de papel e de dinheiro, parecendo que o melhor seria “alinhar”. Xiça!

 

31.10.13

 

António Borges de Carvalho

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub