Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

UMA SUGESTÃO INÚTIL

 
O Irritado, pelo menos uma vez, deu sinal dos seus sentimentos acerca dos palhaços que se passeiam em público, cheios de pundonor e orgulho, a exibir uns simpáticos pit-bull, doberman, rodesian ridgeback, rottweiler e similares, as mais das vezes sem açaimo.
Queixo bem alto, a besta aos pulos à volta do dono (obviamente mais besta do que a dita), as criancinhas atrás dos cãezinhos, os cabos de mar, os nadadores-salvadores, os guardas-republicanos, e quejandos, a assobiar para o ar, que é para isso que são pagos. Se não é, parece.
 
Pois. Também parece que morreu mais não sei quem por causa destas distintas e civilizadas práticas. Já não se falava do assunto desde que, há uns meses, uma sexagenária foi comida pelos mastins do vizinho. Ça va sans dire, o vizinho deve estar calmamente em casa com os seus cãezinhos, enquanto a senhora faz tijolo.
Mas alegremo-nos. Hoje é votada no Parlamento uma lei sobre o assunto. Fenomenal.
Passará a não haver venda clandestina dos canídeos classificados como perigosos. Isto é, quando a cadelinha parir, a simpática ninhada será imediatamente conduzida a um estabelecimento especializado nestas matérias. Está mesmo a ver-se, não está? A coisa foi proposta pela Protectora dos Animais, ou lá o que é, para que os pobrezinhos não venham a sofrer maus tratos nos circuitos comerciais.
A fiscalização deixará de ser feita só pela PSP (agora percebo porque é que os cabos de mar não ligam nenhuma ao assunto), entrando na jogada a Direcção Geral de Veterinária. Não é preciso pensar muito para perceber que a coisa vai funcionar muito melhor.
Os distintos criadores e proprietários dos bichinhos continuam a ser autorizados a criar e comercializar os mesmos. Mas veja-se a sabedoria dos proponentes da lei: os ditos cidadãos serão submetidos a exame psiquiátrico, para avaliação das suas capacidades. Como se quem faz o que eles fazem precisasse de exame psiquiátrico para se saber o que são.
Os reincidentes, isto é, os que tenham condenações transitadas em julgado por crimes relacionados com a posse dos carnívoros, ficarão proibidos de os ter ou criar. Como uma sentença, para transitar em julgado, leva para aí uns dez anos, nos dez anos que se seguem à cena da jantarada dos mastins, o seu ilustre proprietário poderá continuar a sua benemérita actividade sem que ninguém tenha nada com isso.
Restam umas disposições administrativas sem relevância de maior, ainda que monumentalmente complicadas.
Ah! É verdade! As multas a aplicar poderão ir… até mil contos. É como fumar dez cigarros em local proibido, não é?
 
Ocorre perguntar se, em vez destas parlamentares perdas de tempo com regulamentos e trapalhadas inoperantes, não iria mais ao encontro dos interesses do cidadão comum - que não cria, nem vende, nem se passeia com feras - uma simples portaria municipal que determinasse que os bichinhos deste género apanhados na via pública, como ou sem açaimo, fossem imediatamente apreendidos e levados a abate, aplicando-se ao respectivo dono uma taxa brutal pelo serviço.
Ao parlamento competiria alterar o Código Penal de forma a punir os donos dos cães atacantes com a pena que se lhes aplicaria se praticassem eles próprios os actos dos  animaizinhos. Assim, o dono dos cãezinhos que comeram a velhota estaria em prisão preventiva, em vez de continuar a ser autorizado a crescê-los e multiplicá-los.
 
Uma inútil mas bem intencionada sugestão do Irritado.
 
António Borges de Carvalho

4 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub