Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

DA DERROCADA

Por todo o lado se desmorona o Estado a que o PS levou o país. É certo que ainda falta o último acto da tragédia, a bancarrota, mas lá chegaremos, de uma forma ou de outra. É o futuro previsível.

Para já, é a derrocada da saúde, dos transportes, da educação, dos aeroportos, dos salários, da “descentralização”, num nunca acabar de incompetência, de esquecimentos, de palavreado, de soluções que virão um dia se.

São leis e mais leis que não se podem cumprir porque ninguém as regulamentou, dando aos burocratas o gozo supremo de dizer não a quem julga que as leis existem. É a bazuca que anda de mão em mão, cada caso dependente de quarenta pareceres e de trinta instâncias, entidades, reguladores, repartições, estudos e mais o que ocorrer a “quem de direito”. São as grávidas sem médico a correr de hospital em hospital, o sistema público de saúde odeia o que funciona, sacrifica as pessoas a ditames ideológicos que nada têm a ver com elas, as cirurgias no tinteiro, as consultas espera aí. Os aeroportos num caos, por causa da morte de um homem (questão para os tribunais, se é que os há), o governo, em vez de pôr o SEF a funcionar, quer acabar com ele, a confusão é total, a luta dos SEFs com os PSPs e os GNRs, uma desgraça ridícula, uma monumental bordoada no turismo.

A lista é interminável, não vale a pena ir mais longe porque onde se vá é a mesma  coisa.

Dizia-se do Brasil que era “o país do futuro “. Como o futuro ainda não chegou, nunca mais o Brasil lá chega. Conosco é mais ou menos o mesmo, vivemos num mar de intenções, num pântano de promessas falsas, numa fossa de declarações vazias.

O Presidente entretem-nos com o orgulho da Pátria, do esplendor de Portugal e dos elogios ao governo. Deste não vale a pena falar. É do PS, e está tudo dito. O Parlamento anda entretido com a eutanásia em vez de denunciar o que se passa.

E o povo? O povo anda embriagado com eco-balelas e asneiras várias. Não quer o petróleo nem a quarenta quilómetros da costa, não quer o lítio, que faz pó, não quer o gás, que faz buracos, o nuclear nem pensar, foi o que o Sócrates mandou. O povo assiste a ver o seu dinheiro drenado em “energias renováveis”, em nome do tal “futuro”, e acha muito bem. Há alguns que perceberam que o remédio é emigrar para uma país que funcione. Há os que vivem de biscates, do desemprego, dos subsídios do Estado, tudo somado chega, trabalhar faz calos. Não há quem queira trabalhar, e percebe-se.

Entretanto, as “elites” debatem-se em debates, conferências, estatísticas, dados, tudo o que não implique responsabilidades. As excepões, se as há, confirmam a regra.

Enfim, chegou  o Verão. Umas sardinhas, umas marchas, uns bronzes, melancias fresquinhas, boa fruta, uns festivais. Depois, há-de vir o futebol. Sejamos felizes, ou estúpidos, que é mais ou menos o mesmo.

 

14.6.22

7 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub