Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

DA GENIAL GERINGONÇA

PALAVRA DADA

No programa jurado, na palavra dada e na letra assinada da lei, o chefe Costa não foi de modas: “a sobretaxa acaba a partir de 1 de Janeiro de 2017”. Não acaba. Mentiroso? Nem pensar! O homem disse, jurou, prometeu, escreveu e assinou. Mas é preciso perceber que, tal como se virou a página da austeridade, também se virou a do português pré-geringonça. Só almas oblíquas, desonestas, anti-patrióticas e mal intencionadas podem dizer, sequer sugerir, que o chefe Costa mentiu, ou não honrou a palavra dada.

Vejam bem: “a partir de 1 de Janeiro de 2017”, em português antigo, queria dizer que, em 1 de Janeiro, acabava a sobretaxa. Mas não é isso o que lá está escrito, não é essa a palavra, a jura, o compromisso. É que, se é “a partir” de 1 de Janeiro de 2017, só quer dizer que é “a partir de”, sem se dizer quando: se for em Dezembro de 2042, quem pode dizer que não é “depois de 1 de Janeiro de 2017”. A expressão “partir”, em geringoçolíngua quer dizer, como é evidente, “depois” de 1 de Janeiro de 2017: pode ser em qualquer altura, como é evidente.

Calem-se as línguas viperinas que chamam nomes ao homem!

 

MAGIA

Lá em casa, se o ordenado baixar e a despesa subir, ou vendemos o carrito, ou vamos pedir emprestado, ou tratamos de dar a volta. Mas o país não é lá em casa, pelo menos nas mágicas mãos da geringonça. Se não, ouçamos as sábias palavras do apoderado do chamado primeiro-ministro, um tal Pedro Nuno: “os impostos vão baixar, as despesas subir, mas o equilíbrio não abana”. Isto, com a economia a patinar. Nem o mágico Merlin seria capaz de tal feito, nem o homem da banha da cobra lá chegaria. Só a poção mágica da geringonça o fará. Confiança, meus amigos, confiança!

 

OS MAIS DESFAVORECIDOS

Aqui está uma classe que muito ficará a dever ao chamado governo: a dos mais pobres, ou seja, daqueles que, por obra da “direita”, nunca pagaram IRS. É que, com a subida dos impostos indirectos, tal gente vai passar a pagar mais impostos, os mesmos que toda a gente. É o que se chama redistribuição.

Mais uma vez, o meu conselho é: sosseguem, confiem, agradeçam: a geringonça vai contemplá-los com mais um euro e trinta cêntimos por mês. É d'homem, caraças!

 

MISTÉRIO DESVENDADO

Aqui há tempos, o chefe Costa, lado a lado com o inefável Medina, anunciou que ia financiar a reabilitação urbana com largos milhões que ia buscar ao fundo de estabilização da Segurança Social. Almas danadas que por aí andam, IRRITADO incluído, vociferaram que o chamado governo se preparava para encher uma data de patos bravos à custa de mais um buraco na Segurança Social.

A coisa, de facto, era estranha, mas foi ontem esclarecida, para bem do povo: a derrama do IMI – uns 170 milhões – vai para o tal fundo de estabilização, ou seja, quem não tem nada a ver com a Segurança Social vai financiar os patos bravos. Depois não digam que o quadrilátero não é genial.

 

15.10.16    

12 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub