Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

INQUIETAÇÕES

Diz-se que a chuva de dinheiro que o BCE vai injectar se destina a reanimar a economia europeia. Há já larga cópia de teorias sobre o assunto, montanhas de prognósticos, fartura de futurologia, elogios, apupos, incertezas.

Admitamos que se trata de coisa boa: entra dinheiro barato nos bancos, vai haver mais financiamento, ou alavancagem, ou lá o que é. O IRRITADO deseja que assim seja. Mas duvida.

Entre nós o problema já não é o de haver ou não dinheiro para emprestar, mas o de não haver quem o queira. Há que tempos que os bancos anunciam milhões e mais milhões à disposição da economia, quer dizer, das empresas. Mas o crédito concedido é pouco. Porquê? Os juros são mais altos do que deviam? Talvez. O escrutínio das empresas é mais exigente? Sem dúvida. As empresas já estão tão endividadas que hesitam em endividar-se ainda mais num cenário europeu que não é atractivo? Pois é. A burocracia estatal ainda não deu volta que se visse? Evidente. Os tribunais continuam em marcha lenta? Toda a gente sabe.

Não há empresários? Há. Mas a esmagadora maioria são as tão incensadas pequenas e médias empresas que, cada uma, pouco significa no panorama geral, ainda menos no emprego. Os grandes empreendedores são, quase universalmente, alvo da maior das desconfianças: mamões, fascistas, tubarões, o diabo a quatro. Alguns têm fornecido achas para esta fogueira. Outros, causticados pela burocracia e pelos impostos, vão governar-se para outras paragens.

O Estado não investe? Pois não, era o que faltava. O país tem medo das iniciativas do Estado, por regra mal geridas e fundadas em colossais buracos e contratos marados. Em muitas matérias, mais se pode dizer que o Estado é (foi) mais parvo que os privados ladrões. Por outro lado, é evidente que, ou há investimento privado ou a economia não sai da cepa torta. Como por cá, dinheiro próprio é coisa pouca, a grande “esperança” estaria em grandes investimentos estrangeiros. Mas, para além da já referida burocracia, dos tribunais e de outros incentivos negativos, quem quer investir num país onde o PC domina os sindicatos e faz deles autênticas máquinas de destruição económica? Ir às privatizações é uma coisa, criar é outra.

É de temer que a massa do BCE vá direitinha para o consumo.

*

Já agora:

Aqui há dias (o IRRITADO é insuspeito nesta matéria), uma menina do BE, por sinal engraçadinha (não, não é a chefe, é outra) disse coisas que vão no sentido das preocupações do IRRITADO. A miúda, ao que rezam as crónicas, tem origens numa qualquer versão da revolução socialista. Mas é tão inteligente que ainda acaba no PSD.

 

 

25.1.14

 

António Borges de Carvalho

3 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub