Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

JUSTIÇA SOCIAL E CORTES

 

Muita gente pergunta, ou se pergunta, porque será que, para além das manifestações dos profissionais, amadores e apendizes das ditas, não há, que se veja, protestos dos verdadeiramente mais desfavorecidos. Com tantos génios das sociologias, das estatísticas, das politologias e das etc. que por aí vicejam e vão ganhando a vida com opiniões, estudos e manifestros, é de estranhar que do chamado povo, contrariando os fervorosos desejos dos mários soares, boasventuras, viriatros, pachecos & Cª, não se tenha visto nada de retumbante ou relevante. Porquê?

 

O IRRITADO, sem pretensões a ter achado a verdade, arrisca, talvez sem razão, algumas razões.

A primeira é que fome propriamante dita, daquela a sério, como muito bem dizia a dona Jonet aqui há dias, é coisa que não temos por cá.

A segunda é que a política de cortes e mais cortes tem poupado os que menos têm. A ferocidade do fisco e dos seus funcionários tem-se concentrado na classe média, que vai deixando de o ser mas ainda aguenta, como dizia o outro.

A terceira é que os géneros de primeira necessidade têm preços mais baixos e que a história do IVA a 23%, se é terrível em vários sectores, não atinge os que mais protestam (restauração, hotelaria, etc.), os quais mantêm, ou até baixam, os seus preços – ainda que muitos tenham passado a pagar impostos, coisa que não fazia parte da sua “filosofia”.

A quarta é que os reformados e pensionistas mais atacados são os das grandes reformas e pensões. Os demais também levam na cabeça, mas em percentagem menos insuportável. Interessante, nesta matéria, é que os mais virulentos ataques a tais cortes vêm dos reformados lá de cima (Cavaco, Ferreira Leite, generais, juízes e quejandos), não de quem sente o aperto por umas dezenas ou até centenas de euros.

 

Se compararmos os cortes portugueses com os gregos ou os irlandeses (as contas andam feitas por aí) verificamos que o governo português é, de todos, o que mais preocupações sociais tem tido. É evidente que não deixará de ser diariamente acusado do contrário, mas isso é timbre da generalidade dos nossos opinadores, bem como dos partidos socialistas e comunistas, para quem as contas, quando são más, óptimo, quando são boas não se conta com elas. Isto para não falar desse escol, principescamente pago, que é o Tribunal Constitucional.     

 

7.4.14

 

António Borges de Carvalho

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    XXI (militante PSD) 08.04.2014

    Caro anónimo, fala em "parasitas empedernidos que pretendem perpetuar privilégios injustos". Mais adiante afirma existir "concubinato entre os grupos de comunicação,a banca,a magistratura e a classe política" como fatal para o país.

    Tudo generalidades, como sendo a REGRA, e não a excepção.

    Agora, Pedro Passos Coelho não é um produto da politica, mormente das "jotas"?
    Não foi aí que aprendeu as "burlas politicas" em que é mestre?
    Não é um mentiroso que faltou a todas as promessas eleitorais?
    E esta "estória" do ordenado mínimo, que agora patrocina, o que significa?

    Pedro Passos Coelho, (em promessas eleitorais), por mais que o tentem branquear, é um mentiroso a raiar a burla politica.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    O autor

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2014
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2013
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2012
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2011
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2010
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2009
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D
    170. 2008
    171. J
    172. F
    173. M
    174. A
    175. M
    176. J
    177. J
    178. A
    179. S
    180. O
    181. N
    182. D
    183. 2007
    184. J
    185. F
    186. M
    187. A
    188. M
    189. J
    190. J
    191. A
    192. S
    193. O
    194. N
    195. D
    196. 2006
    197. J
    198. F
    199. M
    200. A
    201. M
    202. J
    203. J
    204. A
    205. S
    206. O
    207. N
    208. D