Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

MARAVILHAS DA NOSSA REPÚBLICA


O dito que se segue é atribuído a Albert Einstein. Verdade ou mentira quanto à autoria, é bene trovato:

Se você correr, todo nu, à volta de uma árvore, à velocidade de 298 kilómetros por segundo, há a possibilidade de se sodomizar a si mesmo.
Mas, se não for desportista, pode votar socialista para obter exactamente o mesmo efeito!"

O nosso abominável Costa vai contribuindo com a sua triste cabeçorra para confirmar o bene trovato da frase do sábio. Desta vez, decidiu dizer que o PR, marcando eleições para Outubro, está a “prolongar a legislatura”, para favorecer o governo. Ou seja, na desmesurada ânsia de atacar tudo o que não seja ele próprio e a parte do PS que o apoia, resolveu acusar Cavaco, pela milésima vez, de estar “ao serviço da maioria”. Está-se nas tintas para a mentira do argumento: marcar eleições para Outubro tem sido prática corrente de toos os presidentes, incluindo os que sempre estiveram de serviço permanente aos interesses do PS: os seus ilustres militantes Soares e Sampaio.
É muito grave que um tipo que se intitula, “candidato a PM” – coisa que não existe no nosso sistema – cometa bojardas deste calibre ou debite mentiras em plena consciência. Mas, como outra coisa não seria esperar.

Adiante, já que…
Ocorre pensar dois minutos na floresta de enganos em que todos estamos perdidos há 40 anos, enganos que, de tão repetidos, se tornaram automaticamente aceites pelas pessoas.
Como é que um cidadão, eleito por 50% dos votantes, passa a presidente de todos? Por artes mágicas? Como é que um cidadão eleito por um lado politicamente bem definido da sociedade pode estar ao serviço do outro lado? Como é que um cidadão que passou a vida a defender umas coisas, passa a ter obrigação de defender o seu oposto? Como é que cabem duas verdades no mesmo saco? Como é que um cidadão que não tem poder político se compraz a inventá-lo, para gáudio de uma imprensa acéfala e sedenta de sangue? Onde foram tais cidadãos buscar o “poder moderador”? À Carta Constitucional da Monarquia? Ou à imaginação criadora de cada um?
A presidência da III República é um perigoso embuste. Como é possível a um político de carreira ou a um adepto do Vasco Lourenço passar a “independente”, ainda por cima com uma legitimidade proveniente do sufrágio universal? Então um tipo eleito por uma maioria de votos de esquerda vai apoiar as políticas da direita? E outro, eleito por uma maioria de direita, vai ser um fiel defensor do socialismo?
Querem coisa mais absurda, mais ausente de sentido? Como é que o poder político pode estar entregue a duas legitimidades igualmente eleitas, mas de sinal contrário? O poder político que, por definição, é só um, pode ser entregue a duas entidades opostas? Então a oposição é oposição ou pode ser também poder? Onde foi parar a separação de poderes?


Voltando ao tema supra, se admitirmos que Cavaco Silva “protege” a maioria, haverá que perguntar que mal há nisso (eu não admito; mal, muito mal, houve quando protegeu o Pinto de Sousa!). Que mal há em que se mantenha ao lado de quem o elegeu, se é que se mantém? O garantido antes das eleições é para deitar fora?
A nossa III República, pelo menos no que à Presidência diz respeito, é um manicómio onde os psiquiatras decretaram greve permanente.
Quando e como descerá sobre nós um mínimo de bom senso para acabar com as nossas constitucionais idiotices?

11.5.15

11 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub