Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

MARIQUICES

 

Alguém se lembra de ter visto o camarada Costa, ao longo dos longos e tristes anos em que vem sendo chefe camarário, comemorar o 1º de Dezembro? Um doce a quem se lembrar.

No tempos da II República, os meninos da bufa desfilavam pela avenida abaixo entre bandeiras e charamelas, pletóricos de patriotismo e, como é natural, chatedíssimos por estragar o feriado. Cantava-se o hino da Restauração, ouvia-se tambores e trombetas, o povo assistia ao desfile, as mamãs e os papás babados ao ver passar os rebentos fardados e cheios de importância. A coisa foi-se perdendo com o tempo e com o inevitável declínio da MP.

Veio a III República e, sem grandes considerações filosóficas, a comemoração passou a ser, segundo o politicamente correcto, coisa de velhotes, patrioteiros ou até “fascistas”. O 5 de Outubro é que é bom: velhos maçons e demais filhos mentais do Afonso Costa recriaram, na Praça do Município, a fatídica data, com discursos, trombones e meia dúzia de passantes, curiosos e portadores de sentimentos obsoletos. Do 1º de Dezembro ficava o feriado, o que já não era nada mau.

Até que, numa de pouco esperta “moralização” do trabalho e dos costumes, o actual governo decidiu acabar com o feriado. Meteu a pata na poça. Não percebeu que, se mantivesse o feriado, seria acusado de pacóvio, incompetente, neoliberal e outros mimos da praxe. Acabando com ele, foi acusado de pacóvio, incompetente, neoliberal e outros mimos da praxe. Assim é em tudo, porque não havia de o ser neste caso?

Facto é que a abolição da coisa passou a ser um bom mote para excitar o “patriotismo” de uma data de gente, Costa incluído, e um pretexto de primeira para fazer uma sessão de propaganda da oposicão socialista, com a inevitável adesão de inúmeros fulanos que de socialistas nada têm, a proporcionar ao Costa uma farra “abrangente”.

Tudo isto existe, tudo isto é fado. Aceite-se, sem olhar para o evidente cinismo nem para o oportunismo da iniciativa. Antes as comemorações ressuscitadas que coisa nenhuma.

A partir daqui, vem o pior. E o pior é que o CDS, como sempre faminto de “temas”, resolveu agarrar-se ao assunto para dar sinal de vida. Mais uma mariquice, a juntar a tantas outras. Concordou com a abolição do feriado, assinou por baixo. Agora, achando que arranjava um assunto “popular”, resolveu “desassinar”, possivelmente usando o princípio filosófico da demissão irrevogável: o dito por não dito. Não sei se Passos Coelho fez bem ou mal em mandá-los bugiar. Sei que o mereciam.

Dito isto, o IRRITADO confessa que nunca gostou da decisão de acabar com os feriados, ainda que, a título de exemplaridade, a compreendesse. Mas uma coisa é criticar decisões dos outros, outra é faltar à palavra.

 

14.12.14

 

António Borges de Carvalho

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub