Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

irritado (blog de António Borges de Carvalho).

O SOCIALISMO É A FILOSOFIA DO FRACASSO, A CRENÇA NA IGNORÂNCIA, A PREGAÇÃO DA INVEJA. SEU DEFEITO INERENTE É A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DA MISÉRIA. Winston Churchill

O CONGRESSO DO 44

À boa maneira soviética, a moção do Costa foi aprovada por unanimidade. Cem por cento!

Nas outras votações, houve só 90% a favor, 130 abstenções, certamente a título de raminho de salsa. Sem votos contra, como é de timbre, sobretudo na Coreia do Norte.

Primeiros sinais de unicidade, com certeza saudados efusivamente por alguns ilustres convidados, tais o Arménio e o Carvalho da Sliva.

Mas o dado mais significativo, para já, do congresso do fantasma 44, foi a subida ao palanque máximo desse verdadeiro alter ego ou factotum do Costa, o camarada César. Os dois a mesma tendência para o sacrifício: Costa sacrificou centenas de milhões dos impostos dos alfacinhas às estúpidas alhadas em que a CML se meteu, por exemplo a feira popular e o túnel do Marquês; César sacrificou os estaleiros de Viana, os trabalhadores de Viana, o país, dezenas de milhões, à sua sede de poder e de negócio. Irmana-os o desprezo pelos outros e pelo dinheiro dos outros. O socialismo vive, sempre viveu e sempre viverá, à custa do dinheiro dos outros.

Depois, emblemático e significante, o Assis foi saneado. Talvez a única voz que, era de supor, não entraria na unanimidade estalinista, foi exemplarmente posta a ferros. A “reacção” tem que ser amordaçada antes que estrague o programa das festas. A unicidade excluiu os desalinhados.

O camarada Nóvoa, obscuro figurante da política recém saído dos cinzentos meandros da universidade e trazido à luz pela aula magna, a abarrotar de ambição, veio informar os indígenas que está “disposto a tudo”, leia-se, a ser presidente da República sem olhar a meios. Não podia ter melhor expressão para explicar o que o move, e a natureza do almejado cargo. Disposto a tudo! Ele, com a cartilha comprovadamente bem metida no bestunto, acha que ”a Pátria está à beira de um rio triste”. Esta dos rios tristes é de alta qualidade poética: o névoa, perdão, o Nóvoa, põe o assunto em termos aquícolas, certamente a pensar em lagostins de água doce.

O camarada Alegre, dada a sua fina origem, adora velharias, desta vez não móveis ou quadros mas fantasmas e assombrações. Ele o disse: “o PS não está assombrado”, “nem tem medo de fantasmas”. No caso, sabe-se quem é o fantasma, a assombração: é o 44, pois então! O que o PS precisa é de “governar à esquerda”, se calhar como o fantasma. Raio de esquerda, a que, com toda a propriedade, se poderá chamar capitaleirismo primário. Ou será que o fantasma era demasiado à direita para este ínclito representante do jacobinismo radical? Em alternativa, não sabe que ele próprio é um fantasma e quer ajudar a sacudir a concorrência.

Houve mais, muito mais. Até o nóvel membro da elite costista, conhecido pela sua especialidade em dislates e arrancadas pró-bolchevistas, o tristemente célebre Pedro N. Santos, acha que “nunca foi tão importante ser socialista”. Pudera! Não fora o socialismo, sobretudo um ressuscitador da malta do 44 como o Costa, e onde iria parar o lugarzinho?

Uma palavra sobre o reputado artista Rui Tavares. Este, que de estúpido nada tem e de malandro (para usar linguagem soarista) tem tudo, faz-se, e bem, ao ressurgente poder dos amantes do 44, bem encostados por toda a parte. Para ele, declaradamente, o governo será o PS mais ele, mascarado de “Livre”, admitindo poder vir a autorizar o PS a meter mais uns.

Outra, desta feita sobre as presidenciais. O Guterres foi abolido. O tipo até vai à missa e, que se saiba, nem maçon é! A dona Ana Gomes (e outros) encarregou-se de o pôr de lado, com o aplauso e o alívio da jacobinagem.

 

Enfim, o esquerdismo primitivo ao ataque na Feira das Indústrias. O PS vira a favor do vento. O 44 entra por mãos tão invejáveis quanto o Galamba, estrídulo e odiento aparatchique, o Pinto, destribuidor de preservativos, e mais uma série de recuperados das hostes do fantasma. O Costa tirou eminentes 44istas do mais evidente poleiro, mas deu-lhes outras responsabilidades (Edite Estrela, por exemplo), menos visíveis mas igualmente influentes.

O Soares fez a sua habitual entrada triunfal, freneticamente aplaudido pela maralha. O 44 voltou ao poder pendurado no Costa. Amanhem-se com esta.

Amanhã há mais, se o IRRITADO estiver de maré.

 

30.11.14

 

António Borges de Carvalho

4 comentários

Comentar post

O autor

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub